quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Vocação Eficaz (Graça irresistível)



“... Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos”
2 Timóteo 1:9

“Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo a sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós, por meio de Jesus Cristo, nosso salvador, a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna”
Tito 3:4-7

                Do que já explanei em textos anteriores, vimos que mesmo diante da condição de total depravação do homem, Deus na sua infinita misericórdia elegeu alguns, segundo o seu santíssimo consentimento e para salvar os escolhidos de sua própria ira, morreu a seu tempo para a remissão dos pecados dos mesmos. E como reflexo disso, Deus chama eficazmente os escolhidos para lhes proporcionar as bênçãos do sacrifício de Cristo. O chamado incondicional de Deus aos homens redimidos em Cristo é intitulado de graça irresistível ou ainda chamado eficaz [1].
                O chamado eficaz de Deus é assunto do capitulo 8 do livro de Romanos, no versículo 30 Paulo afirma que “... aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou e aos que justificou, a esse também glorificou.” No tempo certo, os escolhidos (predestinados) são chamados por uma ação interior do Espírito Santo e assim são atraídos e dispostos à vontade do Senhor. Na verdade, não seria de se esperar fato contrário a um chamado irresistível haja vista que nosso Deus é soberano. 
                De semelhante modo ao fato de não possuirmos controle algum sobre o minuto que se sucederá, é a nossa vida espiritual: não há como alguém que está morto em seus pecados (ver artigo depravação total) poder simplesmente decidir voltar-se para Deus. O coração homem natural está totalmente inclinado a fazer as obras da carne, pois “não há quem faça o bem, não há nenhum sequer” [2], assim não há a mínima condição de um homem não regenerado pelo sacrifício expiatório de Cristo pode por livre e espontânea vontade escolher seguir a Deus.
                Outro ponto importante a ser discutido é o convencimento que o Espírito Santo produz nos eleitos, remidos e justificados. O evangelho de João, capitulo 16, versículo 7 a 8, narra a afirmativa de Jesus que muito claramente atesta que quando morrer, deixará o Espírito Santo e ele convencerá o mundo de seu pecado. Não se trata em dizer que o Espírito iluminará a todos, mas sim a inescusável manifestação da culpa da humanidade. Jesus continua seu discurso, de forma que no versículo 13 do mesmo capitulo, conclui o Espírito guiará a toda verdade da obra salvadora de Deus. A expiação de Cristo, limitada eficazmente aos eleitos, proporcionou não somente a consumação de sua obra, mas também a continuidade do chamado incondicional do Pai e isso não se trata de uma visão superficial, pois sem a obra do Espírito ninguém acreditaria, mas sim a profundidade da atribuição ao mesmo Espírito de operar a graça irresistível no coração dos eleitos.
                Por fim, em contra ponto às doutrinas da graça, estão os que consideram a abordagem dos calvinistas sobre graça irresistível como sendo pesada, não dando assim opção ao homem. Não são poucos os que atribuem a Deus uma posição de educado quanto a persuasão e chegam até a afirmar que Ele só entrará quando nós abrirmos a porta. Tratando-se de uma visão lógica, abrimos a porta  porque somos conduzidos por Ele mesmo a isso. Não por sua presciência, mas pela sua condição de soberano Pai; não pelo meu merecimento, mas pela revelação do Espírito de que sou pecador; não porque me declaro filho dEle, mas porque o sou.

“De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes não só na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”
Filipenses 2:1213

Felipe Medeiros
@felipe_ipb


[1] SPROL, R. C.: Vocação eficaz. 2º Caderno verdades essenciais da Fé Cristã. Ed cultura Cristã.
[2] PAULO: In: A Bíblia de Estudo de Genebra. 2. ed.Barueri, São Paulo: Cultura Cristã, 2009. O livro de Romanos, cap. 3, vers. 12 parte b .pág. 1477. 

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

UMP Indica: Por que NÃO vou a igreja?


Baluarte da verdade, refugio da esperança e o local reservado para a comunhão e a adoração coletiva. A nossa igreja deve ser valorizada, principalmente por ter sido instituída pelo próprio Deus e fundamentada na pessoa de Jesus Cristo. Muitas são as barreiras colocadas pelo pecado que tenta afastar as pessoas deste local, entretanto, devemos combater tudo isso, sempre valorizando nossa igreja local. 

Não é possível uma vida cristã saudável, sem estarmos próximos de nossos irmãos, crescendo juntos e cultuado o nosso Salvador. Além disso, por mais que o mundo tente acabar com esta instituição, lançando dúvidas sobre a honestidade de suas motivações, sabemos que a verdadeira Igreja irá prevalecer e continuará proclamando ao mundo que Deus vive e governa todos com sua majestosa soberania, e nos abençoa com sua incomparável misericórdia!

Veja este vídeo que trata de modo bastante criativo, a respeito dos argumentos que afastam as pessoas da igreja:


Por Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

domingo, 25 de setembro de 2011

UMP Entrevista Especial: Mande perguntas para o Pr. Fábio Bernardo

Temos uma grande novidade: a partir do mês que vem, todo primeira sexta-feira, teremos um UMP Entrevista Especial em vídeo, e com perguntas selecionadas dentre as enviadas por vocês que acessam este blog. E para iniciarmos este novo quadro, a UMP da Quarta convidou o nosso pastor mais uma vez, Fábio Bernardo. Então, está aberta desde já o período para que mandem perguntas para que ele responda!

Para enviar suas perguntas é muito simples, basta escrevê-las como comentário neste postagem, até quinta-feira estaremos recebendo-as, e depois na primeira sexta, o nome dos que as fizerem serão mencionados no vídeo durante a entrevista. Tá esperando o que? Corra e formule uma bela pergunta!

Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

UMP Entrevista: Projeto Spurgeon (Armando Marcos)

P
Um blog que se propõe com eficiência a realizar a árdua tarefa de traduzir e divulgar os textos do pregador Inglês Charles Spurgeon, que outrora eram bastante escassos. Este é o Projeto Spurgeon, que já conta com muitos seguidores e admiradores. Falaremos sobre este grande projeto com o editor do site, Armando Marcos, na entrevista que se segue:


01 - Armando, inicialmente gostaríamos de saber como surgiu o projeto, e por que motivo Spurgeon foi o escolhido para ter suas mensagens traduzidas? 

Bem, tudo começou em 2008, quando comecei a blogar na net: me propus a  fazer realmente algo útil para Igreja e na evangelização, não só navegar na net, e com esse fim, comecei a montar um blog chamado, a época, Sola Scriptura.

Depois, ganhei de presente alguns livros de Calvino e Ryle em espanhol, da  FELIRE (Sim, eles manda as Institutas para você de graça, demoram para chegar, mais chega, hehe) e comecei a ler, percebi que não seria muito difícil, mesmo não sendo um profissional em tradução, com um pouco de boa vontade e um bom dicionário online, não seria algo difícil,e bem útil a causa do Reino.

Nesse meio tempo, pesquisando material em espanhol, estava ainda me firmando dentro do Calvinismo, por assim dizer: nessa época, eu frequentava a Igreja Presbiteriana Conservadora de São Paulo, mas ainda era muito influenciado pela pregação do Ricardo Gondim que eu ouvia pelo rádio; então, para glória de Deus e graças a Deus em Cristo! Descobri o site http://www.spurgeon.com.mx/ editado pelo irmão Allan Roman, membro da Igreja Batista da Graça independente e particular da cidade do México, um especialista em Spurgeon, que estudou em Londres e teve aulas no próprio Spurgeon College; foi uma benção na minha vida! Comecei a literalmente comer todo o material: o Senhor na minha vida realmente começou a falar em outras linguás para comigo!

E depois achei os sermões narrados pelo próprio Allan em http://www.spurgeonaudio.com/ , dai larguei de vez o Gondinismo, e passei a reconhecer que não sabia nada do Evangelho genuíno, e Spurgeon e Washer me ajudaram muito nessa obra do Espirito em minha vida

Logo, comecei a traduzir muita coisa do Spurgeon e postar no Sola, de onde comecei a ver que já merecia algo em separado, dai criei o Projeto Charles Spurgeon (com endereço no Blogger): creio que Deus confirmou minha intenção depois (com alguns fatos ocorridos em relação ao site)

Depois de alguns meses, cri que deveria começar a algo mais sério e sistemático, parar de somente reblogar matérias de outros sites cristãos, e fazer algo de realmente relevante para a Igreja e para Cristo? Mas o que? Comecei a traduzir sistematicamente Spurgeon, a começar por pequenos trechos, depois sermões: fui ao site do Allan e peguei o sermão que ele tinha acabado de traduzir do inglês, que era  “A Oração Mais Curta de Pedro”, e o traduzi. Depois foi um atras do outro.

Começei a manter os dois blogs, um mais geral, ainda repostando artigos e vídeos de outros, e o trabalho com Spurgeon, mas isso foi ficando pesado para mim, bem como me distraia do foco no que poderia ser muito abençoador para muitos, como Spurgeon era para mim (Spurgeon e Paul Washer me ajudaram MUITO em entender o verdadeiro e genuíno Evangelho). Em Janeiro de 2010, 6 meses depois do inicio do Projeto, o Vinicius do Voltemos ao Evangelho, acreditando nesse Projeto, se ofereceu em programar um layout decente ao blog, para não ficar com cara de amadorismo, então, comprei um registro de site, coloquei como “Projeto Spurgeon.com.Br”  e desde então, temos o layout que todos conhecem hoje (eu retirei o banner rotativo e fiz alguma modificações) e um site de fato.

Tenho focado como é evidente, no trabalho com Spurgeon: logo no começo desse trabalho, reparei que não havia nada organizado sobre Spurgeon na Web, só no monergismo tinha algo assim, e de resto, um e outro textos espalhados, e às vezes o mesmo texto (tipo, quantas vezes já vi o texto sobre as ovelhas e bodes, ou sobre a defesa do calvinismo, uma e outra vez); Minha intenção com o Projeto foi unificar tudo num lugar só, e assim facilitar a pesquisa de material, sermões e dados biográfico de Spurgeon. Também me começou a irritar muito ver desconhecimento, más interpretações de textos de Spurgeon, bem como às vezes uma tendencia em traduzir só sermões explicitamente referentes a Calvinismo (Spurgeon era calvinista, sim, muitíssimo, mas ele não pregava eleição em todo sermão)

  
 02 - Como evitar que a admiração por este grande homem de Deus, torne-se uma espécie de idolatria?

É uma das questões que me preocupam em relação ao Projeto e comigo mesmo, pois sempre existe o perigo de perder o ponto: só pela graça de Deus que podemos resistir a tentações desse tipo.

  Eu sempre tendo colocar o Evangelho e Cristo em primeiro lugar: tanto que nosso Projeto é somente o foco principal, mas não único: eu edito também o site “Bispo J.C.Ryle”, onde fazemos um trabalho de tradução semelhante com o material disponível desse homem de Deus do século 19, e ajudo em outros sites, como o “Mensagem Reformada”, voltado para tradução de textos alem de Spurgeon e Ryle, e edito outros blogs parceiros.

Também temos patrocinado diversos sorteios de livros de Spurgeon e outros autores, e temos focado nosso trabalho de sorteio no site “Sorteio de Livros”. 

Em resumo, nossa intenção é anunciar a verdade evangélica que salva, liberta e glorifica a Deus, somente escolhemos alguns pontos principais que cremos mereceria maior esforço e eram mais fáceis de conseguir material na Web: no caso, Spurgeon e Ryle.

Procuro traduzir também textos de outros autores, como Washer, Moody, Lutero, Calvino, para assim evitar uma sobrecarga de Spurgeon, e assim evitar a idolatria: Spurgeon é muito bom, prático e bíblico, considero como Paul Washer o maior pregador desde os apóstolos, mas também procuro ler e divulgar outros autores e pastores, para não ficar limitado a ele, mesmo tendo me limitado e ele de certa forma, pela facilidade e necessidade desse trabalho.

Uma ultima palavra que eu já tinha dado para uma entrevista sobre esse ponto “Se Deus usou a pregação de Spurgeon nos seus dias, por que não pode usar hoje? Se Spurgeon acreditava que o poder da Palavra pregada era tanto, que o Espírito poderia atuar na salvação de muitos por meio da publicação de sermões, por que não traduzir algo dessa obra e deixar o Espirito usar hoje esse material antigo? Nós sabemos que hoje é muito difícil que as pessoas leiam algo grande na net, mas quem sabe amanhã? Quem sabe quando alguém irá imprimir algo e distribuir? O ponto não é Spurgeon, e sim Jesus, e Ele corretamente anunciado e proclamado.”.


03 - Nos últimos tempos o trabalho tem ganhado proporções muito grandes, como funcionam as traduções? A equipe cresceu com o passar do tempo?


Bem, a principio, nossa base primária de traduções é o espanhol, e nosso principal parceiro é o site http://www.spurgeon.com.mx/; eu comecei na tradução de sermões desse site; logo depois, comecei a ter ajuda de algumas pessoas em tradução do espanhol que creio, Deus as mandou para incentivar esse trabalho.

Depois de um tempo, pessoas começaram a se oferecer a traduzir, e resolvi pedir ajuda de pessoas que soubessem inglês, pois existe um bom site chamando spurgeon.org com bom material em inglês, mas em http://www.spurgeongems.org/sermons.htm  , existe TODO os 3653 sermões, e pensei que já que estamos traduzindo do espanhol, eu poderia ir traduzindo o que não tem em espanhol direto desse site, com ajuda de pessoas habilitadas para tal.

As traduções sempre são trabalhos voluntários de pessoas dedicadas e que acreditam que esses textos podem ser uteis para a evangelização e edificação da Igreja

Em relação à equipe em si, temos no momento cerca de 10 pessoas que regularmente contribuem com traduções e revisões para o Projeto (curiosamente a maioria mulheres, hehe) e cerca de outras 10 que esporadicamente ajudam com revisões: a Betriaz Rustiguel é a criadora oficial das capas para os PDFs do Projeto. 

Porem, o trabalho é muito grande, e como minha meta é centralizar o material do Spurgeon sistematicamente, e a divulgação do Evangelho por esses meios, conto com várias parcerias entre sites que também trabalham com material de Spurgeon: em vez de encaram os outros como concorrente, encaramos como irmãos de fé e de batalha, no mesmo objetivo de proclamar Cristo e de divulgar o Evangelho, bem como edificar a Igreja através dos escritos do Spurgeon: os principais são os blogs e sermões narrados do Josemar Bessa, e o site do Carlos António da Rocha No Caminho de Jesus, de Portugual, dos quais eu coloco várias traduções do devocional “Banco da Fé”.

Porem, além, desses que são os mais constantes e principais, por assim dizer, contamos com o apoio de vários irmãos e organizações para divulgação de Material do Spurgeon (dentre outros) os parceiros em nossa lista de “parceiros do Projeto”: as Editoras Sheed e editora Fiel (com textos e autorizações para divulgação de material) sites agregadores, etc.



04 - Nossa geração é bastante separada do contexto histórico em que viveu Spurgeon, tanto geograficamente, como culturalmente e também cronologicamente. Essas diferenças são um problema, ou nosso tempo tem mais semelhanças com aquele momento do que pode parecer?

Eu creio que tem mais semelhanças que diferenças, mas com contextos diferentes. As semelhanças são a descrença da autoridade da Palavra, bem como o denominacionalismo e o cristianismo nominal, o contexto muda, pois na época, a sociedade e os tempos eram diferentes, mas quando vc escuta ou lê um sermão de Spurgeon hoje, você pensa que ele prega como que se estivesse sabendo do que acontece hoje.

A época de Spurgeon, principalmente depois de 1860, foi o período em que a teoria da evolução de um lado e o racionalismo alemão e o anglo-catolicismo e ritualismo mais afloraram, minando a fé de muitos, desafiando outros, e endurecendo muitos ouvidos em um formalismo morto: Spurgeon foi uma das vozes que se mantiveram firmes na velha doutrina evangélica reformada e puritana, a despeito de todos que o achavam antiguado e fora de época: para ele, o Evangelho era o mesmo de sempre, que deveria ser preservado e anunciado, pois as necessidades e pecados eram os mesmos de sempre, só com matizes diferentes.

 Hoje no Brasil, rumamos a uma situação de franco ceticismo, tanto da parte de ateus e agnósticos como de desiludidos quanto ao pentecostalismo e neopentecostalismo e teologia da Prosperidade, e de outro lado muitos querem criar aqui no Brasil uma Inglaterra cristã do século 19 em pleno 21, ou mais atras ainda, implantar um ethos evangélico que pode perigosamente fluir ao formalismo e ao poderio politico de pastores e lideres, fazendo com que todos tenham que entrar desesperadamente em uma igreja não por convicção, mas por questão de cultura e de respeito: Por isso o exemplo de Spurgeon e de sua pregação e firmeza na fé e nas obras é a meu ver essencial para nossa geração: o Senhor tem levantado profetas em nossa época, e devemos dar graças a deus por isso; meu trabalho no Projeto visa pegar Spurgeon e dizer “Ouça o que ele pregou o velho, mas poderoso Evangelho de Cristo”.

05 - Gostaríamos, por fim, que nos contasse sobre os futuros projetos, quais os principais obstáculos que tem surgido neste trabalho, e como o projeto conseguir superá-las.

No momento, estamos trabalhando na tradução, legenda e divulgação do filme documentário “Charles Spurgeon, preacher of people”. Eu nunca quis me dedicar a esse trabalho em si, pois queria fazer de forma autorizada (por assim dizer) com alguma gravadora ou distribuidora, mas ninguém se interessou em investir nisso, e logo que o filme apareceu no Youtube, e surgindo a possibilidade de tradução, começamos a trabalhar com ele: no fim das contas, mesmo que seja de certa forma pirata, não temos intenção de lucro mesmo, é só para que as pessoas conheçam a história de CHS e que assim glorifiquem a Deus por meio de imitarem a fé e vida de fé de Spurgeon (bem como entender o contexto histórico de Spurgeon).

Estamos também trabalhando na tradução de 4 livros de Spurgeon: dois escritos por ele, o “a dica do labirinto: relexões profundas sobre a fé e dúvida” e “Conforme sua promessa” outros dois são biográficos: o Diário de Spurgeon, que ele escreveu por três meses depois que se converteu em 1850, e “As cartas do sofrimento”, que são cerca de 60 cartas compiladas que Spurgeon escreveu durante anos em períodos de doença e que foram encaminhadas para a a congregação do Tabernáculo até uma semana antes de sua morte, em janeiro de 1892.

Esses sãos os trabalhos maiores, por assim dizer: os mais corriqueiros são as traduções e a revisão de cerca de 80 sermões que o Projeto recebeu recentemente (para glória de Deus!).

Obstáculos: falta de revisores e tradutores para o trabalho em inglês, e para revisar os sermões já traduzidos na ortografia e gramatica: de certa forma, sempre peço ajuda de irmãos pela Internet para com isso, mas precisamos de pessoas que sejam constantes com essa obra e se dedique ao Projeto, isso é um obstáculo constante (tipo, muitos se oferecem para ajudar, mas depois passam meses sem dar notícias).

Outro obstáculo a meu ver, ou melhor, um desafio, é criar uma cultura de leitura de sermões: muitas pessoas leem as devocionais e textos curtos que eu posto no Projeto, mas não leem os sermões: por isso é um desafio para mim sempre procurar diversificar a forma com que as pessoas acessam os sermões, para que possam assim realmente ler a mensagem de Spurgeon: nesse sentido, temos procurado diversificar os meios: sermões em áudio, narrados, em vídeo, em PDF como Ebook, etc. Um desafio para o Projeto atualmente é conseguir começar a publicação dos sermões e livros em papel, pois creio que em formato de livros muitos pastores e lideres teriam mais acesso aos textos, e assim a influência, creio, seria maior e mais duradoura.



06- Também desejamos que deixe um texto bíblico e uma mensagem a todos os internautas que estão lendo esta entrevista.

O lema de nosso Projeto é uma referência direta a 1 Corintios 1:22-23 “Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.  1 Coríntios 1:22-23” Cremos que na divulgação do Evangelho, proclamamos Cristo, que por sua morte, substituição, perfeição, ressurreição, nos salva e liberta , nos reconcilia com o Pai, e tudo isso pela pregação da Boa nova, que é poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, tanto de judeus como gregos.

Também cito o texto que Spurgeon foi convertido “Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro. (Isaías 45:22)” nossa mensagem é essa Olhe para Cristo!! Spurgeon era calvinista, sim, dos maiores, mas não fique olhando controvérsias, ou pesudo-paradoxos no Calvinismo! Não olhe Spurgeon, pois ele foi pecador como qualquer outro, mesmo sendo grandemente usado por Deus: OLHE para CRISTO.

Muita coisa pode ser dita por gente mais experiente e mais conhecedora da palavra de deus e com mais comunhão com deus do que eu: só quero deixar duas mensagens que creio ser importante: Igreja, olhe para a Palavra de Deus, reconheça ela como realmente única fonte de fé e prática, e julgue tudo pela palavra, mas não despreze a sabedoria de homens e mulheres no passado que também já pregaram a verdade Evangélica, retenha o bom e aquilo que deles glorificam a Deus, e use tudo isso para seu bem e para o bem de seu próximo

E segundo, peço, a todos, que se voltem ao evangelho verdadeiro, meditem nele, bebam dele, e depois sirvam ele: se você não pode contribui em algo para o anuncio de Cristo na net, nem que seja somente divulgar um versículo bíblico, faça!


Entrevista feita por Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd 

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Bem-vinda Prima


Sexta-feira, dia 23 será o início da primavera no hemisfério sul, exatamente às 6h15min. Esta estação tem um charme diferenciado das outras pelo fato de ser uma época que sempre tem sido vista como condutora de uma esperança de algo bom que virá a acontecer, ainda que muitos não saibam dizer o que. Outro aspecto interessante da estação das flores reside no fato dela separar o inverno do verão, dando um tom de serenidade e equilíbrio. Algumas belezas são incontestáveis, como o florescer dos ipês dando um colorido inigualável às nossas ruas. Para não dizer que não falei de algo negativo, há os alérgicos que não gostam muito deste pólen indo e vindo pelos nossos ares e narinas. Mas creio que o bem estar que os olhos recebem supera, e muito, o mal estar das narinas. Porque isto tudo sobre a primavera e com que objetivos falamos disso aqui? Falei inicialmente de algumas características ligadas à primavera. Quero, então, pedir licença a nossa amada estação florida para, a partir dela, tecer (ou florescer) alguns comentários acerca umas dessas características.

Equilíbrio. Para quem não sabe, o início da primavera dá-se num dia chamado equinócio, que é quando a duração do dia é exatamente igual a duração da noite em todo o planeta. Quer mais equilíbrio que isso? Além do que falamos sobre ela estar entre gélido inverno e o tórrido verão. Muitos de nós temos muito a aprender com isto, pois equilíbrio, moderação e todos os seus sinônimos possíveis tem sido algo distante das ações humanas. Optamos sempre pelos extremos (ou inverno ou verão), sem discernir que muitas vezes (na maioria delas), as melhores, mais sensatas e equilibradas estão no meio do caminho.  Muitos confundem, equilíbrio e moderação com covardia e apatia. Mas a Bíblia fala exatamente o contrário e mostra que estas são características dos cristãos, selados com o Espírito Santo. Paulo, escrevendo ao jovem pastor Timóteo, ao exortá-lo a manter-se firme na fé , o diz: Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação (2 Tm 1.7). Ou seja, buscar moderação e equilíbrio em tudo é buscar ser guiado pelo Espírito Santo de Deus.  Já escrevendo aos Filipenses, Paulo nos ensina dizendo o seguinte: Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. (Fp 4.5). E isto nos leva também, pela graça de Deus, a entender quem somos, quem Deus é, e como este entendimento deve permear toda a nossa vida. Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um (Rm 12.3). Busquemos sim, este poder do Espírito Santo. Este sim, um poder que causa mudança, transformação, e não apenas barulho e muito movimento, que no fim é só vento.

Esperança. A primavera dá sim, pelo menos a mim, a sensação de que algo bem melhor está por vir e que devo esperar confiantemente por isto. Ao pensarmos em flores brotando onde antes só havia algo murcho e sem vida me dá sempre a idéia de que momentos aparentemente ruins sempre apontam para algo muito melhor na frente. Mas com um diferencial. Olhando para frente, sem tirar a atenção de onde estamos. É exatamente aí que entra o ponto em que quero tratar. A esperança do cristão na volta de Cristo. E não esperamos isto como quem torce para algo acontecer, mas na certeza que vai acontecer, pois assim promete a Palavra do Senhor. Gl 5.5 afirma : Porque nós, pelo Espírito, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé.  Escrevendo aos Tessalonicenses, Paulo diz: Pois quem é a nossa esperança, ou alegria, ou coroa em que exultamos, na presença de nosso Senhor Jesus em sua vinda? Não sois vós? Queridos, crer e esperar a volta de Jesus Cristo não deve nos levar a viver uma vida alienada. Deve sim, nos dar a certeza de que o reino de Deus e os seus valores serão, um dia, perfeitamente estabelecidos entre os seus. Isto deve nos levar a colocar nossas ações, pensamentos, atitudes e tudo o mais,  em conformidade com os valores do reino. É isto o que Paulo diz aos Colossenses, quando afirma : Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra (Cl 3.2). Ou seja, não devem ser os valores do mundo os diretores de nossas vidas, mas os valores do reino de Deus estabelecidos nas Santas Escrituras. Ao fazermos isto, afirmamos enfaticamente a viva esperança que temos na vinda de Jesus e estabelecimento absoluto e perfeito destes valores, levando também aos homens a mensagem do evangelho da salvação.

Deus, pois, nos abençoe e nos ensine com a linda primavera.
Até a próxima.

Abaixo a letra e a bela canção de Beto Guedes sobre a estação das flores. Deliciemo-nos com tanta poesia:

Sol de Primavera

Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou juntos outra vez
Já sonhamos juntos semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar
Já choramos muito, muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer
Sol de primavera abre as janelas do meu peito
a lição sabemos de cor
só nos resta aprender...



Presb. Cícero Pereira
@ciceroeiris

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

UMP Indica: Culto Pré-Acampamento (Promoção Exclusiva)


Os acampamentos realizados por nossa igreja nos últimos anos (Maravilhosa Graça e Meu Alvo é Cristo) produziram ótimos resultados em nossa comunidade e na vida das pessoas que participaram, e por isto, grandes são as dúvidas com relação ao próximo acampamento, a respeito de quando será, como será e onde será. Somado a toda esta justa expectativa, temos ainda um fator diferenciador: a liderança do ministério está com uma visão nova sobre o acampamento, que irá passar por algumas transformações. A qualidade evidente e notória, além das mudanças muito importantes que serão divulgadas em breve, nos fazem INDICAR estes acampamentos, como momento únicos a serem desfrutados pelo povo de Deus.

A oportunidade de esclarecer todas as dúvidas e ter mais informações sobre as mudança que irão ocorrer é justamente no Culto Pré-Acampamento que iremos realizar no dia 01 de Outubro, na IV Igreja Presbiteriana, com a participação de todos os ministérios da igreja. Já são motivos mais do que suficientes para não perder este momento, não é? Mais ainda temos mais:


PROMOÇÃO EXCLUSIVA

Todos que os que "curtirem" a página da UMP da Quarta no Facebook e forem ao Culto Pré-Acampamento estarão concorrendo a um "vale acampamento" que será sorteado na hora, e dará ao vencedor o direito de participar do novo acampamento de graça.

Quais são as condições para isso?

01. Curtir a página da UMP da Quarta no Facebook: http://www.facebook.com/pages/UMP-da-Quarta/169474989799436 (Se não souber como fazer, basta nos perguntar).

02. Ir até o Culto Pré-Acampamento, no dia 01 de Outubro na IV Igreja Presbiteriana em Campina Grande.

03. Mas essa promoção só será ativada, quando a página tiver no mínimo 50 pessoas curtindo, então é necessário convidar outros amigos para ajudarem e assim ativar a promoção e concorrer a este grande prêmio.


Não percam!

Esta é uma parceira do Ministério de Acampamento e da UMP da Quarta.


Por Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd 

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

UMP Entrevista: Presb. Cícero Pereira


Presbítero da IV IPCG, professor de matemática IFPB, graduado em matemática, mestrando em Ensino de Ciências e Matemática. Ex-presidente da Federação de Mocidades do Presbitério da Borborema e foi o primeiro Secretário Executivo da Confederação de Mocidades do Sínodo da Paraíba. Conversamos agora com o Presb. Cícero Pereira, sobre o trabalho com a UMP, este blog e o grupo de estudos da UMP da Quarta, dentro outros assuntos.
01 - Faz um tempo que você é o conselheiro da UMP da IV Igreja Presbiteriana em Campina Grande. De onde vem essa ligação tão forte com esse trabalho? Apesar de todos que se opõem a ele, ainda é uma sociedade viável?

Minha história com a UMP começou em 1994, quando eu era da Igreja Presbiteriana da Liberdade, ao ser eleito presidente da sociedade naquele ano. Daí então me encantei com o trabalho e como este, quando bem direcionado, tem condição de direcionar e abençoar os jovens dentro e fora da IPB. Em 1999 fui presidente da federação de mocidades do Presbitério da Borborema, quando este ainda envolvia as igrejas de Campina e do Sertão. Depois, em 1999 fui eleito primeiro secretário da confederação do Sínodo Paraiba_Rio Grande do Norte e em 2002 fiz parte, como secretário executivo da primeira diretoria da confederação de mocidades do recém criado Sínodo da Paraíba. Com a experiência acumulada nesse período e com os estudos e leituras aceca da história da UMP dentro da história da IPB, digo, sem medo de errar, que a sociedade é viável, e juntando a força e os recursos com que os jovens de hoje contam à nossas belas história e tradição, temos a possibilidade de desenvolver um belíssimo trabalho dentro da nossa igreja, para a Glória de Deus.

02 - E a respeito deste blog? Como foi o seu surgimento e quais seus objetivos e perspectivas futuras?

Este blog foi uma ideia de alguns membros da diretoria (entre eles você).  O princípio era publicar os textos na quarta, numa alusão ao nome de nossa igreja, o que foi uma sacada muito legal. Mas, com o desenrolar, vimos a possibilidade, não só de ampliarmos o leque de atuação, como a de envolver mais gente no trabalho. E assim, temos uma equipe distribuída entre articulistas (da quarta), os que fazem as indicações (na segunda) e os entrevistadores (na sexta). Temos visto e experimentado boas surpresas com este trabalho, pois ele tem sido efetivamente, um instrumento para o reerguer-se de nossa UMP como uma sociedade plena tanto em suas atividades, como ciente dos objetivos a que estas se destinam. Quanto ao futuro, podemos vislumbrar uma série de atividades que podem se desenrolar a partir dos temas discutidos aqui nos artigos, nas entrevistas e tudo o mais. A excelente movimentação que temos virtualmente é o que queremos ver no ambiente físico. E podemos sim, sem sombra de dúvida, fazermos um trabalho pertinente, bíblico e contextualizado entre e com os jovens. Oramos a Deus por isto e temos fé que alcançaremos para a Glória do Nome de Jesus.


03 - Um dos assuntos que tem sido tratado neste espaço é a cosmovisão calvinista em todos os aspectos da vida. Na área das ciências humanas, trata-se de mudar o modo de observar os fatos humanos, sobre uma perspectiva centrada na soberania de Deus e em sua graça por nós. E como observar isso nas ciências exatas, como a matemática, por exemplo?
Vamos lá. É coisa demais numa pergunta só. Primeiro, adotamos a cosmovisão calvinista não por mero assentimento intelectual, mas por ela refletir o que diz a Bíblia, sem tirar nem por, e sem querer adequá-la a tempo, espaço ou desejos humanos. Não vemos Calvino como infalível ou o Calvinismo uma cosmovisão perfeita, pois se assim fizéssemos, estaríamos contrariando o próprio Calvinismo. Dizemos sim, que compartilhamos da fé de Calvino, por entender que esta é bíblica, e que esta mesma fé, usada pela Graça de Deus para a salvação de Calvino, foi a mesma que o espírito santo derramou em nossos corações para a salvação. Agora, quanto ás ciências exatas e a matemática, entendo que toda a boa dádiva vem do pai das luzes, e a Ciência é manifestação da graça comum de Deus sobre os homens. Ao observarmos como o desenvolvimento da ciência (em específico o desenvolvimento do conhecimento matemático) tem beneficiado a humanidade, vemos aí a mão de Deus agindo soberanamente sobre todas as coisas. Curiosamente, houve muitos matemáticos cristãos, entre eles os irmãos Bernoulli, que contribuíram muito no estudo de equações diferenciais. E hoje, o estudo das equações diferenciais permite desenvolver uma área chamada de controlabilidade, que permite controlar o alcance de cheias de rios, resistências de asfaltos e aparelhos de uso médico, entre outros. É ou não é manifestação da graça do Pai? Nesse campo, poderia ficar falando aqui durante horas, inclusive do outro lado, que é o quanto isto também tem usado para prejuízo da humanidade e da criação. E isto só ocorre por causa do pecado, residente no coração do homem. Aqui entendemos algo maravilhoso. A graça comum não é suficiente para a salvação do homem, precisando para isto que Deus revele sua graça especial, convencendo o homem do pecado, da justiça e do juízo. Resumindo, precisamos ter uma visão global da cosmovisão calvinista, para entendermos e observá-la corretamente em todas as áreas.

04 - Amanhã, sábado dia 17 de setembro, a UMP da Quarta iniciará um grupo de estudos. Fale-nos sobre este trabalho, e a relevância do tema escolhido para iniciar as discussões, no caso a Confissão de Fé de Westminster.
Este é mais um desafio para nós. Termos jovens estudando, debatendo sua fé à luz da Bíblia, do contexto em que vivemos em tudo o mais. E foi mais uma ideia que surgiu na internet, nas discussões no twitter. A Igreja Presbiteriana do Brasil adota a Confissão de Fé de Westminster como um dos símbolos de Fé. Em momento algum ela está  pé de igualdade ou acima da Bíblia. Trata-se, sim, de um documento que expressa em que cremos e por que cremos, bem como as bases bíblicas para dizermos isto. Apesar de sermos signatários da CFW, ela ainda é uma ilustre desconhecida para muitos. E é neste ponto que pretendemos atuar, rogando a Deus que estes estudos formem jovens preparados, piedosos e com identidade. Isto me lembra o título de um livro de John Stott, chamado OUÇA O ESPÍRITO, OUÇA O MUNDO. Vamos em frente, para a Glória de Deus.

05 - Por fim, agradecemos a participação, desta vez como entrevistado, e pedimos que deixe uma palavra para todos que estão lendo esta entrevista.
Obrigado, que Deus abençoe a todos quantos lêem estas linhas. E minha mensagem é na verdade um convite: juntem-se a nós neste trabalho de divulgarmos a Palavra de Deus com fidelidade, qualidade, poesia, contextualização e contestação de tudo que distorça o texto sagrado. Assim, termos jovens cristãos abençoados e abençoadores para a glória de Deus.
Abração a todos.




Presb. Cícero Pereira
@ciceroeiris

Entrevista feita por Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd 

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O Sujo e o Não-lavado!


Vivemos os dias em que uma grande massa evangélica tem se acomodado em uma superficialidade que chega a dar dó. Muitas coisas podem ser consideradas como a causa de tudo o que vemos nas igrejas. Dentre elas, a forma de pregar a vida ao invés da renúncia da vida. Nem chegando a falar na bênção ou na prosperidade. -Isso me daria muito ‘pano pra manga’ e me tiraria totalmente do que eu quero tratar. Poderia até fazer com que você se agradasse de ler. Afinal, você gosta de malhar o Judas dos temas neo-pentecostais tão polêmicos que o cristão deste século assiste tão indignado.

A vida com Deus vai muito além de focar os olhos pra uma fatia da população evangélica que nem mexe os dedos pra fazer com que Jesus seja conhecido. Mais além do que ver que somos jovens separados por Deus e levar isso tão ao pé da letra que não descemos até o vale novamente pra mostrar que há conforto em Deus. Um conforto que só vem após a retirada do julgo do pecado através da graça de Jesus.
Não quero apenas falar de uma camada da igreja que é o “Crente Fantástico”, que sempre está lá aos domingos cumprindo com uma grade de horários. Cumprindo com um compromisso e dizimando a Deus para que Ele abençoe cada vez mais. E não se dizima mais pelo que Deus já deu.
Para começar a ‘bater esse papo’, vamos dar uma lida no capítulo 11 do livro de Eclesiastes apenas no versículo 9: “Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recrie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem o teu coração e alegram aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas”
Em novembro, Campina Grande, PB, receberá o show do abençoado Ministério Faz Chover com Fernandinho. Será, infelizmente, o tempo de algumas pessoas manifestarem-se numa tribo urbana que nasceu nas últimas décadas chamada Gospel. Onde pessoas esperam de evento em evento cristão apresentar seu “estilo de vida”. Só que eu pretendo ir mais além com você. Quero tocar em um ponto da ferida que é um tanto mais doloroso.
O versículo que acabamos de ler é um aval para andarmos nos caminhos que agradam o nosso coração. Mas espera um pouco! O que tem agradado o nosso coração? Sim, por que de todas estas coisas Deus nos pedirá contas! Agrada ao nosso coração estarmos infiltrados nas coisas de Deus com motivações diferentes? Alegram os nossos olhos termos cargos e cargos dentro das igrejas apenas por vaidade? É mais ou menos ao que quero chegar no nosso papo de hoje.
 É aí que eu me pergunto qual a diferença pra essa geração gospel pra pessoas que estão dentro das igrejas com todo o seu estrelismo e suas mais distintas motivações fora de foco. Para ilustrar, vamos fazer uma pequena comparação:
 Primeiro um garoto que está em todo evento gospel que tem na cidade andando por aí pra se encontrar com meninas da mesma tribo. É como se esse carinha comprasse uma máscara de crente e colocasse sempre que estivesse no meio da sua turma gospel. Só que ele comprou a mascara na 25 de Março em São Paulo. Um produto vindo do Paraguai mais falso do que nota de três reais. 
É pra esse cara que todo mundo aponta. Como se e situação da pessoa que está apontando fosse de santidade plena diante de Deus. Aí tem um indivíduo que é de quem eu quero tratar agora. Ele é como se fosse um Crente Fake Master.
Esse segundo indivíduo também usa máscara. Porém, a dele foi comprada numa grife de mais alto valor no mercado. Uma peça exclusiva. Esse é o que tem cargo no mais importante ministério da igreja em que congrega e vive num lar cristão. A vida dele com Deus não importa. O que importa é o que veem ele fazendo dentro da igreja. Ele tem as ‘costas quentes’, é praticamente imortal. Até conhece a palavra. MAS NÃO VIVE O QUE PREGA.
-Misericóóórdia!
Talvez você tenha identificado umas duas ou três pessoas assim, né? Mas não foi essa a intenção de expor isso tudo aqui. O objetivo do alerta não é pra você se prevenir dessas pessoas, e sim pra que você não se torne uma delas. Para que possamos viver um evangelho em que se renuncia a vida para que pessoas possam ser alcançadas pelos nossos testemunhos. Pela nossa transformação. Para que não possamos ser instrumentos de divisão em nossas igrejas e sim de pacificação. Para que não possamos fazer acepção de pessoas e sim procurar ajudar os nossos irmãos.
Alegra-te. Anima-te. Anda segundo os caminhos que te alegram. Mas tenha a certeza que de todas estas coisas Deus te trará a juízo.


Walisson Alves
@walisson_alves

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

UMP Indica: Firmes, um chamado a perseverança dos santos


Termo doutrinário de grande importância. Palavra que aparece de forma muito destacada nas escrituras. Atributo essencial para um eleito de Deus. Destacada é a importância da PERSEVERANÇA, e por isto o livro que indicamos hoje é indispensável para todo aquele que deseja aprender mais sobre este tema,  com consistentes exposições bíblicas acompanhadas de grandes exemplos práticos.

O livro aborda a perseverança sobre vários aspectos. O primeiro deles é a busca por uma vida santa que seja consiste e constante, que se encontrará firme no fim de nossa caminhada na terra. No primeiro capitulo, Jerry Bridges, nos apresenta quatro ações diárias que podem nos auxiliar a termina bem nossa carreira.

No segundo capítulo, o pastor John Piper, um dos organizadores do livro, trata sobre o envelhecimento e de como ele deve glorificar a Deus, demonstrando que a visão de "aposentadoria" que temos em nosso trabalho, não pode de modo algum ser aplicada a nossa vida espiritual, e nos apresenta belos exemplos de cristãos que trabalharam arduamente até os seus últimos suspiros.

No decorrer do livro também vemos o pastor Jonh MacArtur compartilhando a respeito de como podemos ter um ministério duradouro, a partir da exposição das palavras de Paulo a igreja de Corinto e ao exemplo que tem diante dos vários anos que permanece como pastor da mesma igreja. Randy Alcorn e a missionária Helen Rosevare, tratam sobre a perseverança em uma causa, como a luta contra o aborto que custou um alto preço para a família do primeiro, e a difícil tarefa de ser missionária em uma cultura diversa, como é o caso da segunda. Por fim, ainda temos entrevistas feitas com os escritores, a respeito da temática abordada.

Enfim, este é um livro que pode edificar muito a vida dos que buscam estar cada vez mais firmes nos caminhos do Senhor, e esperam Nele que perseverem até o final da jornada!

Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd 


sábado, 10 de setembro de 2011

UMP Entrevista: Diego Venancio

Diego Venancio é Violonista e Produtor musical; Professor de música e violão, tem dois cds gravados 1º chamado Expressão e o 2º chamado Calar dos Ruídos. Estudou na Fundação das Artes de São Caetano do Sul e a faz junto com Stenio Marcus o programa Papo e Arte. Conversamos com ele sobre seu trabalho e os rumos da música cristã. 


1 - Diego, bem vindo ao UMP Entrevista. De início, conte-nos um pouco sobre você e sua história com a música.
Primeiramente agradeço a oportunidade de participar desta entrevista.
Venho de uma família cristã e que por consequência disso é muito musical. Desenvolvi a música desde muito pequeno. Mas comecei a estudar música de verdade com 7 ou 8 anos e violão com 9. Desde então não larguei mais.
Com 17 anos entrei na Fundação das Artes em São Caetano do Sul. Lá tive a chance de estudar música de verdade e conhecer músicos fantásticos que me ajudaram muito no desenvolvimento. Logo após este tempo estudei com o saudoso Prof. Henrique Pinto que me transformou num violonista. Mas hoje abandonei a ideia de ser concertista ou algo assim. Em 2004 ingressei no Grupo Vencedores por Cristo e lá permaneci por dois anos. Foi muito bom porque conheci a realidade do Brasil em relação ao evangelho, visitando muitas igrejas. E a ferramenta usada era a música. Comecei a crescer nesta questão da composição de canções e assim cheguei no trabalho que desenvolvo hoje.

2 – A música chamada evangélica no Brasil hoje é na verdade um verdadeiro sopão sem identidade, pois ao mesmo tempo em que se abrem espaços na grande mídia, o conteúdo é raso e a mensagem do Evangelho de Jesus é posta de lado. Que análise você faz desse momento e que consequências isso trará?
Minha constatação é que o mercado "Gospel" já está estabelecido. Duas ou mais décadas de investimento pesado na criação de um público consumidor tiveram sucesso e fizeram a gente chegar onde estamos.
Hoje assistimos a um circo dos horrores da música evangélica. O que concluo é que esse estilo surgiu para enganar e conseguiu enganar a muitos.
Criaram seu público e assim vai sendo alimentando o ciclo vicioso. Mas ultimamente estou otimista, porque a 6 anos atrás não tínhamos muitas opções. Mas hoje vejo movimentos de levante da música brasileira; a música que é feita por nós brasileiros e que busca a verdade de Cristo e uma leitura correta ou ao menos mais cuidadosa da boa teologia.
As consequências disso tudo? Como Jesus disse, muitos serão enganados, muitos falam no nome dele, mas não apresentam a Jesus na essência do seu discurso.

3 – O seu álbum tem um título intrigante: O CALAR DOS RUÍDOS (http://diegovenancio.blogspot.com/p/calar-dos-ruidos.html). Fale-nos um pouco sobre o sentido do título e o como isto se desenrola nas canções.
Esse título pode ser visto por duas vertentes. A do ruído explícito a que estamos expostos todos os dias na vida em cidade e também uma pretensão minha de dizer que ao ouvir esse disco calam-se os Ruídos externos que falam bobagem e não trazem boa música aos ouvidos. Tenho a pretensão de dizer que meu disco é bom do ponto de vista estético músical e até de poesia. Minha ressalva é a de que estou amadurecendo e posso fazer ainda melhor. É o que eu espero com a misericórdia de Deus.



4 – O Papo e Arte (@papoearte) tem tido cada vez mais audiência pelo twitter. A sua parceria com o Stênio Marcius (@steniomarcius) e os convidados tem dado super certo. Você esperava tanta repercussão? Aproveite e apresente para os que não conhecem o que é o Papo e Arte.

Bom, a ideia é do Stênio Marcius. Era só pra ser uma simples twitcam, mas graças a um amigo que disponibilizou alguns equipamentos, pudemos fazer algo melhor. E assim demos um nome e seguimos com um programa na web simples, mas bem estruturado. Não queremos nada muito formatado que tire nossa espontaneidade. Fazemos piadas, criticamos, elogiamos, rimos de nós mesmos e isso é divertido e gostoso de assistir.
Todas as quartas as 20:30hs nos reunimos e fazemos o programa ao vivo. Mas que fica gravado no www.igrejasp.com.br
Estamos lá para falar de arte de modo geral e também das nossas convicções cristãs.

5 – Quais são os trabalhos futuros? O que veremos e ouviremos adiante do Diego Venâncio?

Estou com alguns projetos. O primeiro deles está saindo agora que é o DVD Vida de Crianças, todas as composições do Stênio Marcius. Fiz uma releitura de um antigo disco infantil dele, e adicionamos animações a cada canção. Está um trabalho muito sensível e bonito.
O segundo é um trabalho ecológico que foi iniciado também pelo Stênio e agora estamos terminando em parcerias as canções. Pretendemos fazer um DVD de conteúdo ecológico que levará meu nome como artista, mas darei ao Stênio todas as honras com toda a certeza.
O terceiro já está em andamento também com as composições. É um disco "secular" (não gosto deste termo). Quero me comunicar com as pessoas que estão fora da igreja. Que não tem a linguagem eclesiástica. Quero falar do belo, quero falar de amor, de alegrias e tristezas e assim atingir as pessoas pela beleza. Vou tentar entrar com este trabalho em lugares que não entraria um trabalho "cristão". Não gosto da diferenciação dos termos porque para mim tudo é uma coisa só. O belo é feito por Deus o Criador que me emprestou a capacidade de fazer música. O belo conversa com todos.
O quarto é um disco de DUO de violão e Flauta. Meu amigo Jorge Ervolini compôs duas suítes para mim e pretendo gravá-las também, mas não tenho nenhuma previsão de quando sairá.

6 – Por fim, agradecemos a sua paciência e gentileza em nos atender e pedimos que deixe uma mensagem a todos os leitores do blog.

Eu agradeço muito a oportunidade. Falar sobre música e os novos projetos é sempre um prazer.
Meu recado é:
Estamos em guerrilha, não podemos descansar e peço a ajuda de todos, para divulgar os trabalhos que valem a pena. Tragam novos ouvintes para serem cuidados, amparados, abençoados e até ensinados com as canções desses artistas criteriosos. A música hoje é o veiculo que ensina que prega que leva a mensagem, ela precisa ser integra e bonita.
Um grande abraço. Deus abençoe vocês.

Diego Venancio
@diegovenancio

Entrevista feita pelo Presb. Cícero Pereira
@ciceroeiris

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Deus, o Criador da mais bela obra de arte!


Ao viajar pelo interior da Paraíba com um grupo de amigos, em determinado momento de nosso percurso, nos deparamos com uma bela paisagem, a qual palavra alguma escrita neste texto poderá trazer a real dimensão de sua beleza. Olhar até o fim do horizonte e só perceber o verde, a vegetação ainda resguardada do asfalto e do concreto, a brisa suave que sopra sem que seja atrapalhada por prédio algum e o suave calor do sol que parecia acariciar nossa pele, nos faz crer que não há como não notar o agir do Criador nesta cena tão simples, porém linda e repleta de significado.

Por mais belas e excelentes que sejam as obras de artes que os homens se proponham a fazer, jamais alcançaram o esplendor da criação de nosso Deus.  A vigorosa e inexplicável obra de Arte da criação, a natureza, está posta para todos os homens, indiscriminadamente, ensinamento explícito nas santas escrituras: “porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos” [1]. Em outra passagem também, observamos Paulo afirmando ao povo de Listra que Deus: nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria [2]. Assim sendo, classificamos os elementos naturais como frutos da graça comum, já vistos em outro texto deste blog.

Tal beleza estando às vistas de todos, é certo que muitos acabam revelando aspectos desta beleza em suas obras, como músicas, artes plásticas e poemas. Destaco uma dessas produções como exemplo, o bastante notório poema Canção do Exílio de Gonçalves Dias, da qual transcreverei um trecho:

"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores. [3]

Nestes versos, o poeta exalta as qualidades naturais de sua pátria, quando estava distante, em Portugal, revelando traços marcantes da escola literária do Romantismo, como o ufanismo, a nostalgia e o valor dado à natureza. A verdade está presente nesta obra quando ela valoriza os belos atributos naturais que descreve. Deus se revela através da natureza, e essa é a revelação geral que alcança a todos e faz-se refletir nestas composições, assim como em várias outras, haja vista “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” [4]. Este é um dos motivos que tornam os homens indesculpáveis diante Dele.

Entretanto, tais visões são limitadas, ainda que belas. A graça comum que os inspira, não é suficiente para apreender todo o significado da criação, esta só é completamente entendida através da graça salvadora. Por isso, apesar de lindas, as descrições citadas não alcançam o potencial da beleza divina, pois o desconhecem. Apontam em uma direção que eles próprios não sabem onde vai dar, entretanto os eleitos de Deus o sabem, pois apontam para a glória manifesta do próprio criador do universo. Enquanto as manifestações inspiradas pela graça comum são parciais, e muitas vezes apontam até para caminhos distorcidos, como o panteísmo, muito presente no Romantismo, segundo alguns críticos literários, a graça salvadora nos remete ao significado amplo e completo da natureza. Podemos notar isto claramente no relato do salmista, que entende a quem pertence tais belezas naturais: “Porque o SENHOR é Deus grande, e Rei grande sobre todos os deuses. Nas suas mãos estão as profundezas da terra, e as alturas dos montes são suas. Seu é o mar, e ele o fez, e as suas mãos formaram a terra seca “ [5].

É nosso dever e privilégio, como filhos alcançados pela graça de nosso Pai, contemplar e valorizar a beleza de sua criação, e jamais renega-la ou tornamo-nos indiferentes a ela, como se isso não fosse importante. Abraham Kuyper, no livro Calvinismo, afirma categoricamente que a Glória de Deus não é antagônica à salvação, pois “certamente a nossa salvação é de valor substancial, mas não pode ser comparada com o valor muito maior da glória de nosso Deus, que tem revelado sua majestade em sua maravilhosa criação” [6]. Ressalta ainda que uma concepção dualista da regeneração também é um equivoco, posto que a obra redentora não se limita a salvação individual, mas abrange toda a criação, e jamais poderemos contemplar de modo exclusivo as coisas celestiais, e abandonar o mundo da criação de Deus.

Por fim, retorno a lembrança inicial do momento que tive no último fim de semana, e compartilho mais uma reflexão que fizemos naquele momento singelo, mas muito especial preparado por Deus para nós: se Deus fez tão belas as coisas que são passageiras, imagine o quanto será lindo aquilo que ele tem preparados para nós na eternidade? Louvado seja o nome deste Deus tão maravilhoso para todo o sempre!

Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd


Citações:
[1]MATEUS: In: A Bíblia Sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. Barueri, São Paulo, 1993. O Evangelho segundo Mateus, capítulo 5, versículo 45. 855p.

[2]PAULO: In: A Bíblia Sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. Barueri, São Paulo, 1993. Atos dos Apóstos, capítulo 4, versículos 16 e 17. 989p.

[3]DIAS, Antônio Gonçalves. Poemas de Gonçalves Dias. São Paulo: Cultrix, 1968.

[4]DAVI: In: A Bíblia Sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. Barueri, São Paulo, 1993. O Livro dos Salmos, capítulo 19, versículo 1. 518p.

[5]DAVI: In: A Bíblia Sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. Barueri, São Paulo, 1993. O Livro dos Salmos, capítulo 93, versículo 3 a 5. 561p

[6]KUYPER, Abraham; O Calvinismo - Tradução por Ricardo Gouveia e Paulo Arantes. São Paulo: Cultura Cristã, 2003, 126 p.