sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

UMP ENTREVISTA: Rodrigo Ribeiro, presidente da UMP da Quarta em 2012


Membro da IV Igreja Presbiteriana em Campina Grande, fundador do blog UMPdaQuarta e presidente da UMP no ano de 2012. Conversamos com Rodrigo Ribeiro a respeito de sua trajetória nas sociedades internas da IPB e das metas da UMP para o ano vindouro:

01. Conte-nos como foi até aqui sua trajetória em trabalhos de sociedades internas na igreja, e que aprendizado você tirou de todo esse período?
Minha trajetória começou na adolescência quando ingressei na UPA e guardo ótimas recordações desta época, pois naquele período tivemos momentos de muita descontração e edificação, essencial para a formação de muitos de nós. Esta era sem sombra de dúvidas uma sociedade ativa e forte. Entretanto, há alguns anos atrás enveredamos pelo caminho que hoje julgo equivocado: extinguimos as sociedades internas e agrupamos todos os jovens e adolescentes em um ministério. 

Inicialmente esta medida conseguiu movimentar os trabalhos de maneira diferenciada, mas pouco tempo depois as coisas foram perdendo o ritmo e a força. Fui tanto presidente da UPA, como líder do ministério jovem e hoje, entendo que o problema não é a burocracia das sociedades, mas uma questão de identidade e dinâmica, que não é exclusividade de um ministério, e este ainda perde no quesito interação com outras igrejas, por causa da ausência de federações e etc. Por fim, a UMP foi reativada, e acredito que esse ano será um período muito frutífero para esta sociedade, se assim Deus permitir.

02. Por que 2012 seria o ano ideal pra você não abrir mão de ficar à frente da UMP da IV Igreja Presbiteriana de CG?
Sou o tesoureiro da atual gestão da UMP, e até para essa função fui bastante resistente em me comprometer. As razões que me faziam recuar no desejo de participar da diretoria passada, se tornaram maiores para esse ano, pois irei concluir o curso de Direito, o que acarreta momentos de bastante dedicação como a conclusão do TCC, além da famigerada prova da OAB. Mas, apesar disto, eu não poderia me eximir de realizar a tarefa que Deus havia me confiado. A certeza deste chamado é o que me fez transpor o temor das várias responsabilidades que certamente terei em 2012. 

Acredito que este ano será muito importante para UMP da Quarta, e sei que as bases dele começaram aqui neste blog, e por isso como membro ativo e fundador deste espaço, sinto que não poderia me acovardar, e perder a oportunidade de contribuir para o fortalecimento desta sociedade. Desde o inicio dos trabalhos virtuais, Deus estava sempre me incomodando para realizar algo semelhante no plano físico, em nossa igreja local. É isso que a diretoria da UMP almeja fazer, e convidamos todos que desejam o mesmo para nos ajudar. O Blog nos deu a identidade que tanto buscávamos, agora é de trabalharmos para consolidá-la.


03. Quais são as principais metas dessa diretoria para fazer um trabalho eficaz nesse próximo ano? O que vinha acontecendo em anos anteriores que deverá ser mudado para o devido alcance dessas metas?
Temos objetivos bem claros para este ano, assim como as características de nossa atuação a frente da UMP da Quarta. Isto foi fruto das experiências que tivemos com os anos anteriores, tanto os acertos como os erros, além de observações a respeito do trabalho com jovens em geral. São três as palavras que definirão nosso modo agir: pretendemos ser uma sociedade Consistente, Criativa e Constante. 

Resumindo em linhas gerais, desejamos ir além da acanhada visão de que o ministério de jovens tem o objetivo de entreter os jovens na igreja, para que não se sintam seduzido pelo mundo “lá de fora”. Isso é muito pouco. Precisamos capacitá-los para enfrentar os desafios “lá de fora” e não esconder-se em um mundo de fantasia e superficialidade, sempre tendo em mente que uma juventude forte doutrinariamente, é garantia de uma igreja firme, pois os jovens serão os futuros líderes e oficiais. Por isso a consistência teológica. A UMP da Quarta precisa se aprofundar no conhecimento bíblico.

Além disso, não podemos e não queremos desprezar uma das notas características de nossa juventude: a criatividade. Por isso sempre buscaremos refletir nosso dinamismo em nossas programações. O conteúdo não implica em uma forma engessada. Tal meta também nos conduzirá a reativar as secretárias e envolver mais pessoas no trabalho, crendo que a inclusão gera sempre um ambiente mais criativo.

Nada disso adiantará, no entanto, se os membros da UMP não vestirem a camisa do projeto. Por isso pretendemos realizar um trabalho constante, baseados em um planejamento simples, enxuto, mas viável. Desejamos que os membros acreditem neste projeto, por que sabem que ele pode ser realizado, e já está sendo, semanalmente. Por isso, exceto o aniversário, não faremos grandes programações, mas pretendemos fazer o básico de forma habitual, como os cultos nos sábados (2º e 4º semana de cada mês) e o grupo de estudo nos domingos pela manhã (1º e 3º semana de cada mês). Devemos planejar e executar para assim ganhar credibilidade e confiança.

04. E acerca do Blog, qual o balanço que você faz desses primeiros meses no ar? Tem alcançado os objetivos? E como deve proceder o trabalho tanto através desta como de outras ferramentas da internet para alcançar e abençoar a vida dos jovens?
Mais uma vez, temos sido surpreendidos por Deus, pois nem em nossos planos mais ambiciosos, imaginávamos que este trabalho iria gerar os frutos que hoje estamos observando. Começamos com o blog em junho e no final de 2011 já alcançamos mais de 21.000 acessos, além de termos textos nossos republicados por outros blogs que admiramos (como o Púlpito Cristão e o Genizah), e ainda entrevistamos grandes homens de Deus e banda que sempre ouvíamos. Isso sem falar no crescimento pessoal, por que para que possamos escrever textos que edificam, e indicar material de qualidade, temos de nos alimentar e buscar primeiramente, o que tem gerado enorme crescimento em nossas vidas. Pretendemos, com a graça de Deus, continuar a realizar com afinco e dedicação esta obra, procurando glorifica-lo cada vez mais no ambiente virtual e no real.

05. Por fim, muito obrigado pela sua disponibilidade em nos atender, que Deus continue abençoando o desenvolvimento de seus ministérios para glória do nome Dele. E queria que você deixasse uma mensagem de motivação para os acompanhantes do nosso Blog para um novo ano de muito trabalho, se assim Deus nos permitir.
Convido a todos, sejam jovens, adultos, idosos, para juntos colocarmos em nosso coração o firme propósito de fazer de 2012 um ano completamente diferente em nossas vidas, marcado por nosso entusiasmo, dedicação e satisfação em glorificar o nome de Deus em todas as áreas de nossa vida. Que possamos nos afastar das coisas sem menor importância e focar nossos olhos naqueles que nos dá a verdadeira satisfação, que possamos falar como Agostinho: “Quão suave se tornou de repente para mim a privação dos prazeres infrutíferos, os quais eu tanto temia perder! Tu afastaste estes prazeres de mim, tu que és a verdadeira, a ALEGRIA SOBERANA.”.

Que nossa satisfação esteja Nele e possamos nos dedicar a glorificar aquele que é digno de toda honra e glória, “Por que dele e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois a glória eternamente. Amém!” (Romanos 11:36).


Para encerrar, agradeço a todos os que compõe a UMP da Quarta, pelo grande ano de trabalho árduo e realizações aqui no campo virtual, e peço que estejamos unidos mais uma vez para que possamos transpor as barreiras da internet, e ter um trabalho forte também em nossa igreja local. Agradeço a Deus também pela vida de todos que frequentaram, oraram e apoiaram este blog neste ano, só Ele pode recompensá-los. Sigamos firmes e juntos por meio de Cristo!

Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

Entrevista feita por Everson Franklin
@eversonekarlla

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Perspectivas e possibilidades


Chegamos ao fim de 2011 e torna-se quase inevitável o exercício de avaliação, da retrospectiva e de olhar para trás e tentar sugar dessa experiência, que muitas vezes é acompanhada de risos, lágrimas e uma série de sentimentos e sensações peculiares a cada indivíduo, um pouco de aprendizado. O grande problema da maioria das pessoas reside no fato de esse exercício, ou os seus efeitos, não durarem mais que o intervalo que vai da noite de farra do dia 31de dezembro à ressaca do dia 1 (ou 2) de janeiro. Fala-se muito bonito nas confraternizações e nos cultos de ações de graça, mas isto não se transforma em execução, em prática, pelo fato de ser apenas um mero ritual. Nada mais que isto. O que desejo considerar aqui são algumas razões que fazem com que isto aconteça.

Um dos fatores reside na questão de a avaliação não ser uma prática constante na vida das pessoas. Ora, quem nunca faz vai fazer em um único dia? Óbvio que não. É apenas proforma. Não existe um desejo real de melhorar, de crescer. Não se tem nem o que avaliar por que também não se planejou nada. Se não houve planejamento, vai se avaliar o que? Se perguntarmos a maioria das pessoas sobre o que elas pensaram para 2011, vamos ouvir muitas coisas. Mas, se a pergunta seguinte for o que elas fizeram no sentido de alcançar o que pensaram, o silêncio denunciará a ausência de planejamento e, por conseguinte, de avaliação.

Chegamos às portas de 2012 e eis diante de nós mais uma bela oportunidade. O que esperamos do ano que se inicia? Quero ser mais frequente na igreja? Mais fiel a Palavra de Deus? Amar, servir e perdoar mais ao meu irmão? Evangelizar mais? Tudo bem. E agora, o que fazer pra alcançar isto? Quais os meios? Ler e meditar mais, estar mais junto dos irmãos, esmerar-se em testemunhar de maneira digna, aconselhar-me, entre outras coisas, são tarefas inadiáveis nesse sentido. E não é para o dia 1 de janeiro não. É pra agora, já, pois este é o dia que o Senhor fez.

Trata-se, então, de definir o que se quer, os meios pelos quais isto pode ser alcançado, e ao fim do processo, avaliar até onde se chegou, como chegou e para onde se vai. Peçamos graça ao Pai e peçamos que Ele esquadrinhe nossas vidas e nos conduza nos Seus santos caminhos e tenhamos um santo e abençoado ano novo. Até 2012 se Deus quiser.

APENAS MAIS UMA PALAVRA

                Quero compartilhar com todo que nos leem a gratidão a Deus pelo ano que tivemos, por vocês que leem, comentam, seguem e nos curtem. Deus abençoe todos vocês e esperamos contar com vocês em 2012.
                E aos colegas de blog, muito obrigado pela confiança e pela alegria de podermos compartilhar esse espaço. Continuem contando com minha modesta, humilde, mas com certeza, alegre, feliz e esforçada contribuição. Deus abençoe vocês.

Presbítero Cícero Pereira
@ciceroeiris

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Plano de Leitura Anual da Bíblia para 2012 - Grupo no Facebook


Quais os seus planos e metas para 2012? Dentre várias opções, uma não poderia escapar de nossa memória sobre hipótese alguma: conhecer mais sobre o autor de nossa fé! Pois bem, é com esse propósito que a UMP da Quarta iniciou um grupo no Facebook para todos aqueles que desejam seguir um plano anual de leitura bíblica.

Esse grupo está aberto para todos, e lá nos iremos nos fiscalizar e incentivar mutuamente, além de compartilhar dúvidas e reflexões referentes aos textos lidos diariamente. Almejamos com isso, que ao fim do ano, possamos celebrar o fato de termos lidos a bíblia por completo e assim estarmos mais firmes e edificados pelas Santas Escrituras.

Caso ache essa uma causa nobre e merecedora de seu esforço como uma meta para o ano vindouro, junte-se a nós!

Eis o link do grupo:


Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

UMP INDICA: Horton e o Mundo dos Quem


Horton (Jim Carrey) é um elefante que, um dia, ouve um pedido de socorro vindo de uma partícula de poeira que flutua no ar. Surpreso, ele passa a desconfiar que possa existir vida dentro daquela partícula. Trata-se dos Quem, seres que ignoram a existência de vida fora da cidade em que vivem: a Quemlândia. Mesmo com todos à sua volta acreditando que perdeu o juízo, Horton decide ajudar os moradores de Quemlândia.

É uma animação que em 2008 – ano de sua publicação – trouxe um grande debate acerca do aborto nos EUA. Porém, o seu tema central é o cuidado de um ser de grandeza imensurável com um mundo e com pessoas tão pequenas que sequer acreditam em sua existência. Uma bela analogia que garantirá também a diversão de toda a família.

Walisson Alves
@walisson_alves

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O sabor amargo do Festival Promessas



Que mundo construímos? Quem é o inimigo?
Qual é a nossa religião? Não aprendemos a lição!
Como estamos longe de Deus... caminhamos para trás...
A cada vida ceifada por bombas lançadas daqueles que se dizem cristãos!
Não se engane!
(Musica De Deus não se zomba, Banda Fruto Sagrado, CD O que na verdade somos)

                No ultimo dia 10 de dezembro, a Rede Globo de Televisão realizou o chamado Festival Promessas, que se tornou um dos especiais de final de ano da emissora no dia 18 também de dezembro. O festival foi, digamos, a comemoração do premio Troféu Promessas, também promovido pela emissora. Reunindo cerca de 20 mil pessoas, 10% do esperado, o festival foi gravado no aterro do Flamengo, zona sul da cidade do Rio de Janeiro, contando com a participação de Pregador Luo, Diante do Trono, Eyshila, Fernandinho, Damares, Fernanda Brum e outros. O festival foi alvo de muitas criticas e o povo evangélico brasileiro esteve (e está) dividido quanto a aprovação do mesmo.

                Falando um pouco do público, que não foi o esperado. Especulou-se que a ausência de grandes nomes como o de Aline Barros e Cassiane foi o grande motivo da ausência das 200 mil pessoas esperadas. Argumento rebatido pelo fato de que o próprio Diante do Trono costumeiramente reúne publico até maior em seus shows a céu aberto. Outro ponto para justificar o baixo número foi a acessibilidade ao local, haja vista que o publico que o festival atinge é majoritariamente da classe B, C, D e E [1].  Isto é, como o aterro do flamengo é área nobre, a maioria das pessoas teria dificuldade para chegar ao local. Porém, se lembrarmos do show de Roberto Carlos ano passado na praia de Copacabana, que levou cerca de 1 milhão de pessoas em forte chuva, disto entendemos que quem gosta comparece.

                Ao que parece, as razões para a não aceitação da proximidade dos conhecidos globais são outras além de condições sociais, de infra estrutura ou de gosto musical. Das quais listo algumas:

1º - A globo realizou uma premiação quase que totalmente desvinculada das grandes denominações evangélicas, organizando o Troféu Promessas e o Festival Promessas;
2º - Digamos, o pé atrás que os mais conhecedores da palavra possuem com a globo;  
3º - O uso do apelo espiritual e gírias "gospeis" de origem doutrinária neopentecostal (totalmente duvidosas e questionáveis) enfaticamente usadas em todo o marketing dos eventos.

                O primeiro ponto por si só é esclarecedor, pois para quem acessou o site do evento, viu  no regulamento do troféu que um Comitê Gestor, responsável escolher os indicados, era composto pelas principais gravadoras e mídias gospeis[2]. Por aí se imagina que os critérios de indicações foram totalmente desvinculados das tendências de moda musical gospel atual (risos tendenciosos).

                Sobre esse segundo e terceiro ponto vamos observar a partir do próprio site do evento, afirmando que
 “Mais do que uma simples premiação, o Troféu Promessas torna-se instrumento para honrar a vida daqueles que se dedicam a exaltar fielmente o Senhor por meio da musica [...] Gerações foram impactadas pelas letras inspiradas de inúmeros cantores e grupos de louvor que iniciaram, há anos, uma história que se perpetua ao longo do tempo. As promessas de Deus têm se cumprido da musica evangélica. Prova disso são as composições inovadoras, mostrando que inspiração e unção fazem, sim, diferença na vida das pessoas.” [3]

Poder-se-ia argumentar facilmente que as justificativas para que a premiação exista são de caráter econômico e intere$$e no mercado fonográfico gospel, haja vista que com toda pirataria, os evangélicos ainda são um segmento que valoriza a compra de CDs originais. Ainda admitindo que a Globo teve a melhor das intenções com a criação do premio e exibição do festival, os que ainda estudam a bíblia e sabem distinguir o que é musica de qualidade e mesmo não tendo nascido há muitos anos, conseguimos lembrar do tempo em que cantávamos “distante de ti Senhor, não posso viver, não vale a pena existir” ou “pai eu me rendo diante da tua vontade”.

Ah! bons tempos em que se fazia ao menos um esforço para expressar o amor e submissão a Deus e sua vontade, mas os tempos mudaram e o que se vê hoje é “vão dizer que você nasceu pra vencer, que já sabiam que você tinha mesmo cara de vencedor ... quem te viu passar na prova e não te ajudou, quando ver você na benção vai se arrepender, vai estar entre a platéia e você no palco...” e não para por aí “minhas palavras liberam minha fé e o que declaro muda situações”.

Esses são apenas alguns exemplos das musicas do cenário gospel atual. Elas são as composições inovadoras relatadas na citação [3] acima, essas sim mostram os efeitos da inspiração e unção dos compositores fazem diferença na vida das pessoas... Realmente, o premio está justificado! Com a devida licença, vou fazer uso de um comentário que vi no facebook sobre o festival:

“O Evangelho foi pregado? Através de músicas como "Agora é só Vitória", "Sabor de Mel", "Sonhos de Deus" etc? Músicas antropocêntricas não evangelizam. Na verdade, trazem uma mensagem agradável ao ego humano! E não interessa aos seus intérpretes se utilizam textos descontextualizados para escrever canções tão tolas!
"Desde que pregue o Evangelho..." O de Jesus ou que foi inventado por aqueles que não querem se dobrar diante das imutáveis verdades das Escrituras!
[4]

                Deus é o que é, ele é o EU SOU!  Suas palavras e feitos serão conhecidos por todos, a própria natureza já o revela. O verdadeiro evangelho não precisa da Globo. Os cantores, músicos e compositores do evangelho da cruz visam a gloria de Deus e não reconhecimento. A Rede Globo precisa dos evangélicos, porém a recíproca não é verdadeira. Deus não é exaltado por festivais ou prêmios, nem tão pouco sua palavra é eficazmente pregada através de grandes ajuntamentos, mas é pregada eficazmente pela vida de quem traz as boas novas, o que na minha opinião, não condiz com a Globo.
               
                 O grande problema não é somente o evento em si ou as músicas entoadas, pois outros como este já aconteceram em outros momentos e vão acontecer como também ainda ouviremos muitos outros CDs no mesmo estilo antropocêntrico. O grande problema é a divulgação, em rede nacional, de um evento que NÃO REVELA o autêntico sentido de ser um cristão evangélico como também NÃO REVELA o autêntico evangelho da cruz e isto dá espaço uma imensidão de heresias além das que já existem. Ou seja, ao falar ou cantar atrocidades e besteirol gospel em nome de Deus está se prestando um desserviço ao reino de Deus e assim, servindo de pedra de tropeço para os fracos desconhecedores da palavra, que nesse Brasil imenso, não são poucos.

                Em poucas palavras, não considero o Festival Promessas como uma autêntica manifestação de um verdadeiro evangelho. Os argumentos estão acima. Leia e confirme-os na palavra!

Soli Deo Gloria
                

 por Felipe Medeiros - @felipe_ipb              



[1] ______________________. Economia das Religiões: Aspectos locais e ascensão social. Fundação Getulio Vargas. Agosto de 2011.
[3] Disponível em http://www.trofeupromessas.com.br/o-trofeu/ . Acesso dia dia 19 de dezembro de 2011.
[4] Disponível em http://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=206047472812293&id=100002211256528 . Acesso dia 19 de dezembro de 2011.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Uma vida que reflete Cristo


Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos, mas a nossa capacidade vem de Deus.
O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.
II Coríntios 3. 5-6

Temos então, sabendo dessa verdade bíblica, que nos levantarmos com a autoridade que temos através do nome de Jesus e levar a todos os povos a mensagem do evangelho de Cristo.

O que nos falta? O que estamos esperando? É suficiente servir a Deus dentro das quatro paredes de um templo?

O texto de II Coríntios 3. 5-6 nos mostra que não podemos argumentar não sermos capazes, pois toda nossa capacidade vem de Deus e Ele nos dá conforme o que quer que façamos.

Deus escolheu a mim e a você para anunciarmos as boas novas do evangelho de Cristo, Ele mesmo nos capacitou para tal, agora só falta a nossa parte, que não é feita somente quando falamos da vida e do amor de Cristo para os perdidos (o que é muito importante e necessário),  mas também e não menos importante, através do nosso testemunho de vida, como nos portamos no trabalho, na escola, na nossa rua, enfim, em nosso meio social. Não se trata de aparência, é de vida mesmo...

O véu do templo foi rasgado para que tivéssemos acesso livre e direto a Deus e nós temos, reflitamos então aos povos, a glória do Senhor manifesta em nossas vidas, o brilho da vida de Deus reluzindo em nossos passos, gestos, palavras e ações que é como tem que ser. Podemos mostrar a vida de Cristo em nós buscando até nas pequenas coisas, agradá-Lo.

Levemos Cristo aos povos e nações, refletido em nosso viver!

Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.
Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.
Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.
II Coríntios 3. 16-18


Karlla Cristina
@eversonekarlla

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

UMP Indica: Guerra Pela Verdade


Estamos vivendo em uma era que rejeita a verdade, que já não acredita mais na possibilidade alcança-la. Infelizmente esta filosofia tem influenciado algumas denominações "evangélicas", contrariando totalmente as Escrituras Sagradas.

O Pr. Jonh MacArtur confronta com coragem a filosofia pós-moderna, utilizando argumentos fortes, fazendo uma brilhante defesa da verdade. Assim como os demais livros desse autor, nesta obra podemos encontrar afirmações seguras, coerentes, por diversas duras, mas sempre amparadas na Verdade revelada por Deus em sua palavra, com inúmeras citações e exposições de textos bíblicos.

Recomendo este livro para toda a Igreja Protestante, pois a Palavra de Deus nos adverte que os falsos profetas já se introduzem sorrateiramente na igreja. Precisamos, com a Graça de Deus, lutar pela verdade.

Presbítero Aluísio Ribeiro
@aluisioribeiro1

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

UMP Entrevista: Artur Mendes, diretor da APECOM


1) Você fez parte de Vencedores por Cristo, trabalhando com o Nelson Bomilcar, Sérgio Pimenta e outros. Conte-nos um pouco sobre esse momento.

Foram talvez, um dos melhores e mais ricos momentos da minha vida. VPC foi um marco na minha existência. Foi um enriquecimento musical e espiritual, que mudou inclusive o rumo da minha carreira profissional. Naquela época, lá pelos idos de 1977, eu já trabalhava no meu sonho de criança. Queria ser publicitário e já estava começando minha carreira. Com VPC percebi que poderia ser publicitário e trabalhar para o maior cliente do mundo: Deus! O que me fez enxergar isso, foi exatamente a intima convivência com pessoas como o Sérgio Pimenta, o Nelsão Bomilcar, Oziander Shaft, Ivailton dos Santos e meu eterno parceiro e amigo mais que irmão, Edy Chagas.

Naquele tempo respirávamos música dia e noite. Bastava estar junto, pra sair uma nova cançãoo. Serjãoo, apesar de militar, era uma criatura doce. Tinha música nas veias. Ao lado dele, numa tarde trigueira, fiz “Vou chegar”. A música é minha, mas o violão é dele. Serjão estraçalhava o violão. Onde eu via um acorde, Serjão montava três! Já o Edy Chagas, meu amigo Edão, é o meu arroz com feijão. Crescemos juntos. Fizemos muitas músicas juntos. Na Igreja Presbiteriana de Bauru, onde tinha música, lá estávamos eu, o Edy, o Bilão. Éramos o “trio Bauru”. E foi exatamente ali, na IP Bauru que VPC descobriu o “trio Bauru”.

2) Como músico, produtor e diretor de programação (eita quanta coisa) como você vê a música chamada evangélica hoje no Brasil?

No meu tempo musica evangélica chamava “corinho” e soltar a voz. Tocar instrumentos com maestria era querer aparecer.

Hoje, nossos músicos cresceram. Estão tocando e cantando muito bem. Já temos grandes artistas de estúdio e palco. A música cristã evangélica se profissionalizou até no ambiente de muitas igrejas. Os antigos conjuntinhos viraram grupos musicais.

E quanto à produção musical, diria que hoje somos muito mais pluralistas. Não seria demais afirmar que o disco De Vento em Popa, de VPC, foi um divisor de águas. Antes dele, as músicas predominantes eram as baladas americanas e as marchas e valsas europeias. De Vento em Popa libertou a criatividade nacional. Hoje nossos compositores refletem bem a riqueza de estilos da nossa cultura musical. Temos do baião ao fandando gaúcho, passando pelo frevo, samba, bossa nova e ate sertanejo. Afinal a musica é de Deus, mas o ritmo é dos homens, do cidadão local. Cada povo reflete sua cultura. O que faz diferença é a letra centrada na bíblia e o coração de quem faz.


3) Fale-nos um pouco sobre a APECOM, sua função e importância na comunicação da IPB?

A Igreja Presbiteriana do Brasil ao longo de seus 152 anos, sempre foi uma igreja seria e “low profile”, pouco se expõe. Mas a partir da criação da APECOM, Agencia Presbiteriana de Evangelização e Comunicação novos ares estão surgindo. Hoje já temos cruzadas presbiterianas feitas em praças públicas, duas rádios, uma tv, programa de televisão em rede nacional.

Vivemos um novo tempo. Se no passado perdemos alguns bondes da historia, hoje estamos no bonde certo e na hora certa. A IPB está praticamente presente em todas as grandes mídias do momento. Estamos no Facebook, Twitter, temos um grande portal na internet com mais de 400 mil pages views por mês.


Temos a radio IPB com mais de 60 mil ouvintes por mês, temos a radio ipb2 instrumental, dirigida a um público mais conservador que gosta de velhos e bons hinos e temos também a ipbtv com uma programação 24 horas por dia e também a redeipbtv, uma rede de igrejas Presbiterianas com 43 canais transmitindo cultos e eventos ao vivo. Se antigamente, e não tãoo longe assim, só tínhamos a praça publica e o púlpito, hoje a IPB praticamente está presente em todos os devices, aparelhos e mídias disponíveis no mundo moderno.

A IPB esta no iPhone, iPad e os novos aparelhos, como o Roku, uma nova fonte de entretenimento já presente em milhares de lares americanos.

Como coordenador de comunicação da APECOM, meu trabalho consiste em gerenciar as rádios, a tv e o portal, produzir material pra todas as mídias e colocar tudo isso no ar, 24 horas por dia. Nossa equipe é enxuta. Pra fazer tudo isso andar, eu tenho a ajuda de duas pessoas: para o portal, a jornalista Cibele Lima. Cibele alimenta o portal e o noticiário da radio IPB. Já na rádio, o reverendo de Goiânia, Natsan Matias, é meu braço direito nas edições e na locução dos programas.


4) Um dos movimentos mais interessantes na internet é o Chat da IPB rádio, do qual eu sou um dos CHATeados. Como se dá essa dinâmica na rádio e como ela tem servido a IPB e a igreja cristã como um todo?

A interatividade é a grande alma da internet. É impossível conceber uma rádio web, uma tv web ou até qualquer rádio normal, sem a participação do ouvinte. E a internet, o chat, facilita esse encontro do radialista com seu ouvinte. O chat é o sangue pulsando. Ele anima, dá vida a programação e até me ajuda a encontrar o caminho certo. O chat é meu termômetro, tanto de audiência quanto do agrado. É ali que percebo as músicas e programas que agradam e as músicas que não agradam. E, no caso de nossa igreja, o chat da rádio ipb, tem sido sem sombra de dúvidas, um agregador de irmãos dos quatro cantos do Brasil e do mundo. Com certeza, muitos irmãos jamais se conheceriam, não fosse o chat da rádio ipb.

5) Artur, quero agradecer pela paciência e compreensão em nos ceder esta entrevista. Como de praxe, deixe uma mensagem para os leitores do blog e o convite para todos conhecerem a programação da rádio e da TV.

Bem Cicero, meu negocio é musica. Respiro música desde que nasci. Na minha casa sempre se tocou de tudo. Cresci ouvindo de Orlando Silva a Bach.
Quando me converti, na Igreja Presbiteriana de Bauru, fiz de tudo musicalmente: cantei em Coral, quartetos, conjunto jovem. Tive a felicidade de ser pastoreado por bons pastores, como Rev. Wilson Castro Ferreira e Rev. Miguel Orlando de Freitas, pastores que incentivavam a música e a produção musical local. A música é um adorno do culto a Deus. Ela prepara a alma e o sentimento. Uma igreja que quer o jovem pra si, não pode tolher nem censurar a música. O bom pastor tutela a música e o músico, porém com laços de ternura.

Artur Mendes
@arturmendes

Entrevista feita pelo Presb. Cícero Pereira
@ciceroeiris

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Ampliando o Conceito de Serviço Cristão



         Qual o significado do Serviço Cristão? Essa palavra resume-se ao trabalho realizado no âmbito da igreja? Na verdade, estas indagações são muito importantes porque a resposta está intimamente ligada a nossa identidade de Igreja Reformada.

            Ao entendemos que serviço cristão está relacionado somente com atividades eclesiásticas, como o ministério que ocupo na igreja ou minha função na sociedade que sou membro (SAF, UMP e etc.), estamos aderindo a uma divisão entre o secular e o sagrado, que tem mais relação com o catolicismo medieval, do que com as doutrinas defendidas pela reforma protestante. A palavra de Deus nos mostra de maneira muito clara a supremacia de Cristo em todas as áreas de nossa vida (Cl 1 16; 17). Devemos ser cristãos por completo, em todos os lugares, e em todas as atividades, de maneira que tudo que fazemos deve ser entendido como Serviço Cristão.

            Nós fomos criados para glorificar a Deus e nos alegrarmos nele em todo tempo (primeira pergunta do Catecismo Maior de Wenstiminster) e devemos compreender nossa vocação como mais um meio dado por Deus para que possamos realizar este propósito. Tal concepção nos trará uma motivação revigorante posto que trabalharemos como forma de dar Glória ao nome Deus. Muito mais que uma mera forma de adquirir sustento, nosso trabalho será uma adoração. Essa é a ética calvinista.

            Esta compreensão é maravilhosa, pois nos revela a graça de um Deus que através de sua infinita sabedoria nos distribui dons e se alegra quando executamos as tarefas do dia a dia com zelo, tendo como fim maior a glória e exaltação do nome Dele e isto abarca todas as habilidades, seja a medicina, arquitetura, engenharia, o comércio, o trabalho manual, o magistério. Enfim, qualquer que seja a sua vocação, Deus se alegra em ver nos exercê-la com maestria e devoção.
  
            Todo o trabalho que realizamos e ofertamos a Cristo é trabalho cristão, seja qual for. Calvino dizia que “nenhuma trabalho é tão insignificante e sórdido que não tenha esplendor e valor aos olhos de Deus”.  Já Lutero, narrou a história de um sapateiro que o procurou, afirmando que havia se convertido, e gostaria de saber o que deveria fazer agora, qual era seu chamado. O reformador respondeu: faça o melhor sapato que puder e o venda pelo preço mais justo. Que este também seja nosso pensamento: trabalhemos para a Glória de Deus!

Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

UMP Indica: Conferência A Bíblia Hoje


Exclusivamente nesta semana teremos duas indicações, pois não poderíamos deixar de mencionar este grande evento que abençoara a nossa Cidade. A Igreja Cristã Nova Vida, de Campina Grande, irá organizar dos dias 08 a 10 de dezembro, a Conferência A Bíblia Hoje. Se não bastasse o tema importantíssimo, ainda contaremos com grandes homens de Deus que certamente trarão mensagens bastante edificantes.

Você de Campina, das cidades circunvizinhas, ou até de mais longe caso possa vir, não pode deixar de participar desta conferência, que terá preletores de alto nível, como Hermister Maia e o Bispo Mc. Alister que estarão também na Consciência Cristã em fevereiro. Além do mais, teremos também Franklin Ferreira, que não participará do encontro em fevereiro, o que torna esta oportunidade de ouvi-lo expor as Escrituras Sagradas mais importante. 

Seja edificado conosco!

Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

UMP Indica: O Peregrino


Este filme é baseado na obra clássica de John Bunyan, de nome homônimo, e retrata através alegorias a vida de um cristão, que peregrina por um mundo que é contrário aos princípios do reino dos céus. Esta jornada começa com o fardo pesado que está sobre os ombros do protagonista, quando ao ler as escrituras é alertado sobre os seus pecados e seu trágico destino. Este fardo só é retirado dele aos pés da cruz. Mas a jornada continua.

Ao longo deste caminho estreito o cristão enfrentado muitas dificuldades, mas sempre as supera, pois Deus sempre providencia a vitória. Mas isso não impede que haja dor e sofrimento, pois isto faz parte da jornada. Interesse notar, os nomes dos personagens, e o caráter atemporal das lições que podemos atrair deste grande livro, que só não foi mais publicado do que a bíblia, sendo a maior obra de literatura cristã. Tal fato se torna mais destacado quando descobrimos que o autor escreveu grande parte dele na prisão, pois por ser puritano foi perseguido e preso na Inglaterra Anglicana do Século XVII.

Enfim, indicamos tanto o filme, como o livro, que é uma ótima forma de entretenimento e edificação, para nós como indivíduos e também para as igrejas e ministérios. Está lançado o desafio: junte a sua UMP, assista e comente esta grande obra!

Por Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

UMP Entrevista: Jamila de Sousa, Presidente da Federação da Borborema


Jamila Silva de Sousa, Presidente da Federação de Mocidades da Borborema, 2º Secretaria na Sinodal, membro da igreja Presbiteriana de Boa Vista e cursa Psicologia pela UEPB. Neste fim de semana de congresso, conversamos com a presidente da federação sobre assuntos que envolvem o trabalho com as UMP’s. Leia:

01 - Primeiramente gostaria que nos contasse um pouco a respeito de sua história com a UMP e de como enxerga o papel desta sociedade no desenvolvimento das igrejas locais.
Desde que comecei a congregar sempre estive envolvida com os trabalhos da UMP. Fui durante 5 anos presidente da minha mocidade local, hoje atuo como vice-presidente, também tive  cargo de vice- presidente por dois anos na federação e atualmente sou 2º secretaria da Confederação Sinodal

Vejo a UMP como uma importante ferramenta de integração e ação a serviço dos jovens presbiterianos. Integração porque permite que os jovens estejam em contato uns com os outros possibilitando assim comunhão bem como o crescimento mutuo, e ação porque o trabalho da UMP, quando bem planejado e executado é capaz de causar impacto positivo na sociedade possibilitando que mais pessoas conheçam a Cristo.

02 - A uma tendência presente em nossas igrejas atualmente de se substituir as sociedades internar por ministérios jovens. Qual sua opinião acerca deste assunto?
Bom, o trabalho realizado tanto no ministério quanto na sociedade é praticamente o mesmo, no entanto a sociedade funciona de forma democrática possibilitando que os sócios através do voto escolham quem os representará, enquanto no ministério essa escolha é feita por indicação direta do pastor, o que faz com que o jovem perca a oportunidade de estar escolhendo quem o representa e também a possibilidade de representar os outros jovens.

A continuidade dessa tendência é vista por mim como uma ameaça a existência das federações assim como das sinodais e porque não dizer da CNM, pois quando se estabelece um ministério no lugar de uma sociedade as relações entre a “ex-sociedade” e a federação são “cortadas”, e o ministério tende a se fechar em torno do seu próprio individualismo, perdendo assim a oportunidade de estar ampliando o trabalho juntamente com outros jovens.

03 - Neste ano de 2011 você ocupou um papel muito importante e de grandes responsabilidades na federação da Borborema. Como foi aceitar tamanho desafio de ser presidente da federação? Era algo que já vinha sendo planejado ao longo dos anos ou surgiu de forma inesperada?
Para se assumir um cargo seja ele qual for na obra de Deus é necessário que se tenha consciência de que o trabalho não é nosso portanto, temos que dar o máximo de nós para a execução do mesmo. Ser presidente de Federação não era algo que eu planejava, no entanto não aconteceu de forma inesperada visto que eu já vinha sendo vice- presidente por dois anos consecutivos.

Sem dúvida está à frente da Federação foi um desafio muito grande pra mim, não dá pra aceitar um compromisso desse tamanho e não sentir o peso da responsabilidade, pois não é um trabalho muito fácil de ser realizado, no entanto eu não estive só, ao meu lado estiveram pessoas que acreditam como eu no trabalho da UMP e me auxiliaram durante todo ano.

04 - Como foram os trabalhos da Federação neste ano que está próximo do encerramento? Quais os principais problemas enfrentados e quais as maiores conquistas?
Em uma caminhada é inevitável não enfrentar problemas, acho que o maior deles durante esse ano foi o fato de alguns membros da diretoria terem deixados seus cargos, mesmo sendo por motivos de força maior a ausência deles pôde ser sentida pelos demais. Além do fator financeiro, que sempre pesa, pois para se trabalhar a nível de federação é importante que se tenha o mínimo possível de recuso, e nem isso tivemos, no entanto as conquistas só vem quando não deixamos as dificuldades nós paralisar, e a  nossa maior conquista   é sem dúvida a realização de um congresso com a presença de representantes de todas as mocidades do presbitério, o que e uma resposta positiva ao trabalho por nós realizado. Pois a nossa proposta principal esse ano era está trazendo as mocidades a participarem diretamente da federação e tudo começa, em um congresso.

05 - Por fim, gostaríamos de agradecer a disponibilidade e pedir que deixe uma mensagem a todos que estão lendo esta entrevista, principalmente aos jovens que já fazem parte da mocidade e aqueles que ainda não se envolveram neste trabalho. 
Eu que agradeço pela oportunidade  e  parabenizo o blog pela iniciativa.

Pensando no tema adotado pela federação neste ano: Juntos somos um só corpo em Cristo Jesus. Quero convidar os jovens que por algum motivo ainda não se envolveram com os trabalhos da UMP a estarem conscientes de que por mais que o trabalho esteja sendo realizados existe a necessidade de que você também  sejam parte integrante  dessa sociedade interna, pois somos um corpo só, é precisamos que  todos os membros estejam  juntos. Lembrando, pois que você só o tem a contribuir com esse trabalho.  Não perca tempo precisamos de você junte-se a nós!

Quanto aos jovens que já estão envolvidos com a UMP convido-os a continuar os trabalhos tendo o cuidado de estarem buscando sempre a integração com as outras mocidades, pois se muito podemos sozinhos, imaginem unidos e com o mesmo propósito, sei não é algo tão fácil na pratica, no entanto não é impossível afinal somos um.

Fortalecei-vos, serdes firmes, tendes fé e vamos trabalhar!

Jamila de Sousa

Entrevista feita por Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Nascendo do Espírito



“Se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus”
(João 03: 03)


O versículo, transcrito acima, encontra-se no capítulo 03 do livro de João, no qual encontramos o relato do encontro entre Jesus e o fariseu Nicodemos. Muitas pessoas têm abordado esse versículo considerando o ato de nascer de novo, referido por Jesus, como sendo a ação de proferir a aceitação de Jesus Cristo como Salvador. Entretanto, se observarmos essa passagem com mais profundidade, percebemos que ela vai muito além das palavras de homens. 

O ato de nascer de novo implica em uma mudança na forma de pensar e agir. Nascer de novo, “da água e do espírito”, como lemos no versículo 5, requer uma renúncia dos impulsos da natureza humana que nos afastam de Deus. Isso fica mais claro quando, no versículo 06, Jesus esclarece que “o que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”.  O verbo “nascer” é concebido como “vir à luz”. Ao nascermos, pela primeira vez nos é possível abrir os olhos e contemplar a luz. Quando nascemos da carne, contemplamos a matéria que nos rodeia. No momento em que saímos do ventre, fomos imersos em uma sociedade de valores distorcidos e que exalta o dinheiro, o poder, a fama, a violência, valores que se chocam com aqueles pregados por Jesus, e lembrados pelo apóstolo Paulo em Gálatas 5: 22-23: “Mas  o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”.
Quando Jesus falou em nascimento do espírito, Ele fez menção ao ato de contemplar a vida pelos olhos espirituais, a partir do renascer de uma nova natureza, proveniente do agir do Espírito Santo, que gera um processo de santificação e de intimidade com as coisas que vem do Alto.  O ato de proferir a aceitação de Cristo, sem nenhuma mudança de atitude, não manifesta verdadeira conversão, pois como se lê em Mateus 7: 21-23:
 “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. / Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? / E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade”.

            É necessário muito mais que palavras. Para nascer do espírito é necessário viver no mundo, situando a nossa vida no centro da vontade de Deus. O homem nascido de novo tem a convicção plena de que as coisas que devem ser valorizadas e buscadas são aquelas que nos aproximam de Deus.  Em Mateus 7: 24 -25 Jesus afirma que:
 “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.”

            As adversidades da vida só podem ser superadas quando a base de nossa fé está na palavra de Deus, ou seja, quando conseguimos viver uma vida santificada, a tal ponto que o alicerce dela é o próprio Jesus. E esse processo de santificação somente é possível com o agir do Espírito Santo em nossa vida. Como lê-se em Gálatas 5:17:

“Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer”.

O mundo é muito atrativo, tanto quanto ilusório. As alegrias por ele oferecidas são tão volúveis quanto volúvel é o tempo, mas muitos, malogrados por tantas facilidades, entram em caminhos tortuosos. O caminho que leva ao Senhor, ao contrário, é um caminho de abnegação: de si, de seus desejos, de suas vontades. Nascer do espírito é colocar-se inteiramente e incondicionalmente nas mãos de Jesus, como vemos em Lucas 9: 23-24:

“Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. / Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará”.


            Nascer do espírito, muito além de palavras, consiste em abrir os olhos e enxergar o mundo como ele é: transitório. Também é compreender que fomos criados para “
as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:10). Fomos criados para termos vida e vida em abundância que só é possível em Jesus, nascendo do espírito.

Andrea Grace
@andreagrace_

domingo, 27 de novembro de 2011

Congresso da Federação de UMPs da Borborema


O grande dia está chegando! O Congresso das UMPs é um momento muito importante de confraternização, comunhão, análise das atividades das sociedades locais e a formação da nova diretoria da federação para o ano de 2012. Então, não perca esta grande oportunidade. No culto de abertura e encerramento, na sexta e no sábado a noite, todos podem participar como visitantes, mas para participar do congresso todo é preciso se inscrever. Para fazê-lo entre em contato com @rodrigolgd.

Informações:

Data: Dias 02 e 03 de Dezembro, sexta e sábado
Local: IV Igreja Presbiteriana em Campina Grande

Visualizar R. José Gomes Filho em um mapa maior
  
Valor da Inscrição: R$ 15,00
Mais informações: @rodrigolgd ou rodrigo_b50@hotmail.com


Rodrigo Ribeiro
@rodrigolgd

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

UMP Entrevista: Banda Resistência

Banda de Campina Grande, composta por alguns jovens da UMP da Quarta e de outras denominações, a Banda Resistência vem desenvolvendo um trabalho que apesar do pouco tempo já tem obtido bons frutos. Conversamos com ele sobre a história da banda, projetos futuros e outras coisas mais. Leia:

01. Primeiro, como começou a banda e porque o nome RESISTÊNCIA?
Marco Júnior - A banda surgiu de um desejo em comum de todos os participantes, o de levar o evangelho de Cristo através da música. Dessa forma nós estaríamos realizando do ide de Jesus e realizando nossos sonhos. Um grupo de jovens, com talentos musicais e com um propósito firmado no coração, então por que não nos juntarmos, não é verdade? O próprio Jesus se dirige a nós como fortes que já venceram o maligno. Sendo assim, no dia 04 de fevereiro do ano de 2011 ocorreu a primeira reunião da nossa banda que até então era sem nome. E o que nós pudemos ver foi o mover de Deus em nosso favor. Porque bem do nada, nós já tínhamos um convite e ver o nosso sonho se concretizando fez com que a nossa vontade aumentasse, na mesma medida em que o nosso coração se enchia de esperança e de alegria.

Nós passamos um bom tempo como “A Banda que não pode dizer o nome”, será marketing? Não, era a falta de um nome que nos chamasse atenção.  Até que um de nossos integrantes sugeriu ‘Resistência’ e teve a aprovação de todos. O nome da banda trata de uma situação comum na vida de um cristão, a bíblia diz: “resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós”, e ser um jovem cristão, requer muita perseverança e resistência. Dessa forma o nome proposto condizia com a nossa postura como banda, nós nos unimos para na andar ou estar contra mão do mundo, ir em direção ao nosso alvo que é Cristo. Nós somos testados por várias situações diariamente, e diante de nós sempre se põe dois caminhos: resistir ou se entregar. Nós estamos resistindo com a graça de Deus, e mostrando ao mundo a força que tem a união firmada Nele.

02. A RESISTÊNCIA tem um conhecimento mais expressivo a nível local hoje. Esse é o público alvo da banda ou almeja vôos mais altos?
Walisson Alves - Graças a Deus, a banda tem atingido um bom público na cidade e na circunvizinhança desde que gravamos um CD ao vivo em uma de nossas ministrações. São pessoas que têm nos acompanhado nas ministrações, redes sociais e sempre estão dando força para novos trabalhos desse grupo que tem sido tão bem aceito. Chegamos a ser o assunto mais falado em Campina Grande no Twitter pela repercussão desse trabalho. 

Porém, a banda tem um propósito evangelístico. Recentemente estivemos ministrando na cidade de Sossego – PB e tivemos a oportunidade de levar a palavra de Deus não só através de música, mas também de estudos bíblicos com Rodrigo Ribeiro (teclado) e Guilherme Barros (baixo). Nossa meta é, então, levar a palavra de Deus até onde Ele nos permitir que cheguemos. Através dos nossos dons e talentos procurando pregar a genuína palavra de Deus com a música, com ministrações, estudos.
Seguimos, pois, firmes na certeza de que, na intenção de glorificar o nome de Deus e louvá-lo, Ele nos ajudará nessa jornada com misericórdia e alargando as nossas fronteiras para que possamos levar o seu nome, sua história e seus ensinamentos para um povo cada vez mais sedento de sua palavra.


03. O repertório do ministério é formado basicamente por músicas de outros cantores e grupos conhecidos nacionalmente. A banda tem em algum desses artistas sua grande influência? E se a banda já tem alguma ou algumas músicas próprias em andamento.
Guilherme Barros - Especificamente não temos um cantor (a) que nos influencie de modo direto, apesar de termos várias pessoas e bandas, que gostamos de ouvir e admiramos. Cantamos musicas de vários cantores como Fernandinho, André Valadão, PC Baruk e etc. Mas nós gostamos muito de pegar músicas antigas e reformula-las, pois elas contem letras maravilhosas e com muito conteúdo, diferente da maioria das músicas "gospel" de hoje em dia. E sim, nós estamos trabalhando nas nossas músicas e em breve estaremos as divulgando, querermos caprichar o máximo nas melodias e letras para que o nome de Deus possa ser glorificado!

04. Essa tem sido uma pergunta frequente quando tratamos de música em nossas entrevistas. Por se tratar de um tema muito abrangente e que, inclusive, pode gerar opiniões divergentes. Como vocês vêem o crescimento do movimento e da música intitulada gospel hoje no Brasil? Há diferenças ou é tudo pra Deus e pronto?
Rodrigo Ribeiro - O crescimento da música gospel apesar de parecer algo muito bom, tem trazido mais prejuízos do que benefícios ao cristianismo. Essa afirmação é dura, mas é também um desabafo. O nome de Deus não é glorificado quanto notamos a criação de canções cada vez mais baseadas em formulas mágicas de sucesso, sem a mínima criatividade ou intenção de fazer arte. O que é belo glorifica a Deus; O que é falso e superficial, pode até vender muito, mas não o faz. Essa é uma realidade.

Mas a questão crucial é que a música gospel não é mais sinônimo de evangelho. Por isso não há progresso para o reino de Deus quando milhares de lares cantam canções que não falam dos atributos de Deus, do pecado e a incapacidade do homem de salvar-se, da condenação e da irá que está sobre os pecadores e da graça maravilhosa revelada na cruz. Isso é evangelho, mas você encontra muito pouco desta mensagem nas músicas de hoje.

Não podemos ser injustos. Existem exceções, músicos cristãos que fazem arte de qualidade e que tem letras onde o evangelho é o centro. Mas o fato destes serem minoria, e muitas vezes nem simpatizarem com o “mercado gospel” só confirma esta análise. Por isso que nós temos resgatado canções antigas no nosso repertório, pois encontramos verdades bíblicas e uma devoção que está cada vez mais difícil de encontrar. Na música gospel nem tudo é pra Deus. Muitos agradam os mercados e seus fãs, já outros direcionam canções a um Deus que não é o que a bíblia nos revela.

Entretanto também existem aspectos positivos, por causa do maior espaço concedido em lugares que outrora eram inacessíveis. Ainda que isto ocorra por interesses comerciais, poderia ser muito bem aproveitado para proclamar a loucura da pregação através da música. O grande problema é que os têm estas oportunidades, não transmitem esta mensagem de modo digno. Por fim, é importante refletir: será que os músicos cristãos tem desperdiçado uma bela oportunidade, ou está oportunidade só existe por causa da ausência do evangelho em boa fatia do mercado gospel?

              
05. Apesar do não muito tempo, a Resistência desde sua formação tem feito várias “apresentações” em igrejas e esse ano de 2011 também pela primeira vez no cantinho da bênção. O que a banda tem colhido dessas grandes oportunidades que Deus tem dado que possa deixar de aprendizado para o futuro do grupo?
Wellison Anacleto - Bem, creio que Primeiramente estar dependente de Deus tem sido o nosso maior aprendizado. Quando queremos fazer algo de nós mesmos, não flui, mas quando buscamos saber o que Deus quer tudo ocorre de forma sobrenatural. Outro aprendizado tem sido a amizade do grupo, pois mesmo com falta de tempo, temos um carinho e respeito muito forte por cada um. São dois aprendizados que se levarmos conosco a banda será sempre uma ferramenta nas mãos de Deus.

06. Já agradecido pela participação no UMP DA QUARTA e desejando que Deus guie cada passo da banda, usando-a como instrumento para alcançar vidas para Ele, quero pedir que deixem uma mensagem para os acompanhantes do nosso blog.
Agradecemos a oportunidade de participar deste espaço, e a mensagem que nos deixamos para os jovens que lerão essa entrevista é a mesma que Paulo deixou a igreja de Corinto: Façam tudo para a glória de Deus. Se nós colocarmos isso como meta em nossa vida, poderemos resistir ao pecado, ao diabo, proclamar o evangelho, a salvação que só há em Cristo e assim crescer na graça e no conhecimento para que o nome de nosso Senhor possa ser glorificado em nossas vidas. Que o espírito santo de Deus nos ajude nessa missão!

Banda Resistência
Twitter: @resistenciaband
Assista alguns de nossos vídeos neste canal: http://www.youtube.com/user/Guilherme8x

Entrevista feita por Everson Franklin
@eversonekarlla